Seja em eventos para mais ou menos pessoas, fartura na gastronomia é quase sempre o desejo dos anfitriões. Quando o tema é docinhos e bolo em uma festa de casamento, o cenário não muda muito.

A quantidade e variedade dessas delícias vai de acordo com o número e perfil de convidados de cada ocasião.

doces-e-bolo-para-festa-de-casamento
Foto: Sweet Sail

 

Festa de casamento: doces na medida certa

O número médio de convidados para uma festa de casamento fica entre 200 e 300. Essa é a opinião de Carol Melo, chef de um ateliê gastronômico que leva o seu nome.

“Nesse contexto, não consideramos a sobremesa para a conta dos doces. Costumo trabalhar com um número médio de cinco a seis unidades por pessoa.”

A chef Cecília Pace da Soul Sweet concorda com Carol, mas acrescenta que o número entre cinco ou seis doces por convidados é mais comum na região Sudeste do Brasil que em outras. “Por exemplo, no Nordeste costumo trabalhar com 12. Já no Sul fica em cerca de oito docinhos.”

A presença de crianças na festa não costuma alterar a quantidade de doces para casamento segundo Cecília. Entretanto, para Carol, os pequenos podem interferir na variedade de sabores. “Quando um evento conta com o público mais jovem, o chocolate aaba sobressaindo mais que outros sabores.”

Crédito: Shutterstock

 

Variedades dos docinhos

Fazer escolhas é algo que acompanha o casal durante toda a jornada do casamento. Entre cores da decoração e o tipo de papel do convite, também é preciso pensar na variedade de doces a ser servida durante a festa de casamento.

Tentar agradar a todos priorizando o gosto do casal é o conselho de Cecília quando os noivos chegam ao ateliê para escolher os sabores. “Acredito, inclusive, que não há doces obrigatórios. Os deixo livres para a seleção. A única recomendação que costumo fazer é misturar sabores para não deixar a mesa monótona.”

Divida os docinhos em tipos

Na tentativa de auxiliar os noivos na prova dos doces, Carol comenta que tenta dividir a escolha dos sabores em três tipos. “Chocolate, frutas e castanhas costuma ser uma boa forma de agradar a maioria em uma festa de casamento.” A profissional acredita que, se não tentar balancear, o chocolate acaba predominando as opções.

O senso comum de que doce bonito não é gostoso acaba presente no pensamento dos convidados de uma festa de casamento. Entre opções bonitas e trabalhadas, e outras mais simples, Carol orienta mesclar doces elaborados com aqueles menos detalhados.

“Acho legal ter doces com cara de doce e que possibilitem à pessoa saber, inclusive, o sabor do que ela vai comer. Por exemplo, deixar uma geleia de maracujá aparente fica bonito e já informa o convidado.” A chef acrescenta que a cor do item de comida não interfere na decoração da mesa. A escolha das forminhas, sim.

Crédito: Shutterstock

 

Todos os sabores para todos os convidados?

Tanto Carol quanto Cecília têm opinião similar sobre o tema: a diversidade fica entre oito e 12 tipos diferentes de doces a serem servidos para os convidados. “Entretanto, não é necessário que, nessa conta, considere que todos as pessoas da festa vão comer de todos os tipos de doces”, afirma a chef da Carol Melo Doces.

A profissional acrescenta que alguns sabores acabam saindo mais que outros. Dessa forma, é preciso ponderar na variedade. “Mesmo que os noivos tenham 1.000 doces e 10 variedades de sabores, se o de ovos ou capim-santo tiver menos saída, não se deve deixar cada um com 100 doces. Já o brigadeiro pode superar esse número pois é um dos mais procurados em festas de casamento.”

Outro sabor que tem sido queridinho entre os convidados é o creme de avelã da Nutella. Para Carol, ele vem logo depois do brigadeiro e também fica bem presente na variedade dos doces.

Crédito: Shutterstock

 

Festa de casamento: bolo na medida certa

A presença do bolo na mesa de doces é quase certa. E, na maioria das vezes, incorpora a decoração de forma cenográfica. O bolo de casamento é uma tradição, mas que pode ter mais ou menos aceitação dependendo do tamanho do evento.

“Os buffets têm feito sobremesas cada vez mais elaboradas e a diminuição do consumo do bolo de casamento tem a ver com isso e não necessariamente com a escolha do sabor”, explica Carol. A profissional recomenda que a quantidade para a festa seja pensada para um terço ou metade do número de pessoas do evento.

Seja um bolo de casamento simples ou sofisticado, a profissional recomenda não dispensar a sua presença no evento. “Uma das minhas sugestões é oferecer também na mesa do café. A pessoa pode decidir comê-lo antes de ir embora. É aquele pensamento de ‘ah que delícia, vou comer um pedaço’, junto com um chá, por exemplo.”

Se for um mini-wedding…

Casamentos menores, no estilo mini wedding, costumam ser mais intimistas e minimalistas, inclusive na gastronomia. Dessa forma, o bolo de casamento pode ser consumido em mais quantidade pelos convidados.

Se for um evento maior…

Já eventos maiores, com grandes produções, a delícia pode disputar espaço com outras sobremesas e acabar nem sendo comida.

Crédito: Shutterstock
Tags da matéria

Comentários