Revista

5 coisas que você precisa fazer se o seu casamento foi adiado

Seu casamento precisou ser adiado por conta do coronavírus? Veja o passo a passo para resolver tudo!

Quando planejamos um evento, existem imprevistos sobre os quais não temos controle. Atualmente, o coronavírus chegou ao Brasil e o governo passou a recomendar várias medidas para segurança da população. Infelizmente, dentre estas resoluções está a suspensão de eventos que provoquem aglomeração de pessoas. O que fazer se você precisou adiar seu casamento?

Baixe grátis nossos convites editáveis!!

A situação muda o tempo todo. Em alguns estados, há um número determinado de pessoas permitidas por evento, em outros os eventos estão proibidos independentemente do número de convidados. E, por enquanto, ninguém consegue saber exatamente por quanto tempo isso irá se manter.

Leia também: Calma, vai ficar tudo bem <3

Com isso, muitos noivos se viram com várias dúvidas sobre o que fazer neste momento. No entanto, a boa notícia é que há solução e boa parte dos fornecedores estão abertos a negociar e super dispostos a ajudar os casais. Para saber como proceder diante desta situação, conversamos com diversos especialistas para entender quais são os próximos passos para lidar com tudo isso da melhor forma possível e com o mínimo de prejuízos – tanto para casais como para fornecedores.

E o primeiro passo é pensar da forma mais otimista possível para que as coisas se resolvam da melhor forma.

Veja o que fazer:

Quem vai precisar adiar o casamento?

Temos dois “grupos” de casais. Há aqueles que estavam com o casamento mais próximo, nos meses de março e abril, que têm uma situação mais urgente a ser resolvida. E há também aqueles que se casam de maio em diante.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

Para os casais de março e abril, a indicação de todos os especialistas é adiar o casamento. “A recomendação é para postergarmos as festas de março e abril. As de maio ainda estamos aguardando mais um pouco, até no sentido de não sobrecarregar os fornecedores que neste momento vivem uma difícil tarefa de realocar as festas”, afirma Vinicius Favale, CMO e sócio da Múltipla Eventos.

A cerimonial Thai Marins compartilha da mesma opinião – a dica dela é esperar até abril e ficar de olho nas recomendações do governo. “Tenho noivas do início de maio que já estão postergando e outras do meio em diante que estão aguardando”, conta.

Leia também: Como apoiar seu parceiro em períodos de estresse?

Edda Ugolini, Gizella Luglio e Elisa Tavares, da Boutique de 3, já estão prevendo que a situação impacte os casamentos até junho.  “Estamos passando por um momento único e, de acordo com as declarações do Ministério da Saúde, estamos aconselhando todas nossas noivas que têm eventos marcados até o mês de junho a trocarem suas datas. Pode ser que a situação se normalize antes, porém é muito difícil a decisão de adiar um sonho. Desta maneira o melhor a fazer é reagendar mais para frente para não sofrer o stress psicológico outra vez”, destacam.

Com exceção às noivas de março, abril e maio, Giovana Duailibe, CEO da Belief Wedding Creators, uma comunidade internacional de wedding planners, recomenda que o ideal é não tomar nenhuma decisão definitiva com relação à nova data antes do final de abril. “É importante ver como tudo vai evoluir antes de remarcar”, aconselha.

Não cancele, adie!

Provavelmente, se você acompanha o mundo dos casamentos nas redes sociais, já deve ter se deparado com a campanha “não cancele, remarque” ou “não cancele, adie”. O setor de eventos foi amplamente impactado e esta é a recomendação da maioria dos fornecedores.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

De acordo com Guilherme Farid, chefe de gabinete do Procon-SP, este é um período que exige serenidade, reflexão e bom senso. “A recomendação do Procon é que o consumidor dê preferência a adiar a data, pois ele tem esse direito de postergar. Normalmente, ele tem direito à devolução do valor pago ou a opção de usar o valor em outra oportunidade. No entanto, para que não haja um colapso ainda maior no mercado de casamentos – o que pode fazer inclusive com que a empresa não exista mais no futuro para atendê-lo – nossa recomendação é adiar o casamento”, afirma.

Favale compartilha da mesma opinião: “Se todas as noivas cancelassem, o mercado sofreria um colapso e isso refletiria na incapacidade de os fornecedores honrarem com estes distratos. Ao adiar o casamento, os noivos garantem a manutenção do seu sonho e os fornecedores conseguem honrar seus compromissos”.

A boa notícia com relação aos adiamentos é que, segundo Edda, Gizella e Elisa da Boutique de 3,  muitos fornecedores já contratados estão tentando se alinhar a nova data sem nenhuma alteração de valor. Já se o evento for cancelado, elas esclarecem que as cláusulas de cancelamento entram em vigor e no caso de um motivo de ‘força maior’, entra uma discussão jurídica e acordo individual com cada um.

Valentina Lombardi, wedding planner da empresa Italian Wedding Company, comenta que ao cancelar o casamento, meses de esforço e planejamento são jogados fora, o que pode ser frustrante. “Adiar é uma maneira de ter um pouco mais de tempo para planejar outros detalhes ou descansar um pouco em casa de forma segura e celebrar depois com ainda mais alegria e amor”, afirma.

Decidi adiar meu casamento. E agora?

Se você tomou esta decisão, siga os passos abaixo:

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

  1. Converse com seu cerimonial/assessor/ produtor

Este profissional é o mais capacitado para ajudar os casais a lidar com este tipo de situação e a esclarecer todas as dúvidas. “O papel do assessor é organizar e conseguir separar o emocional dos casais, que está muito abalado, trazendo soluções práticas e racionais para este momento. Ele poderá mostrar que mesmo se eles tiverem que abrir mão de algo já contratado devido à nova data, o sonho deles continuará com a mesma alegria e outras possibilidades”, destacam Edda, Gizella e Elisa.

Leia também: Assessoria de casamento | O que você precisa saber antes de contratar

A wedding planner italiana Valentina, que vêm lidando com o total fechamento de seu país, enaltece a importância deste profissional nesta hora: “Nós precisamos ficar muito próximos aos casais neste momento. Nossa obrigação é gerenciar toda esta questão do ponto de vista logístico, mas também pessoal e psicológico. Nós precisamos deixar claro para os casais que eles não estão sozinhos nessa. Nós podemos ser o braço direito deles para fazer com que este sonho vire realidade apesar de todas as dificuldades. Nós precisamos trabalhar em equipe não só com os noivos, mas também com os fornecedores escolhidos, sempre com o sentimento de confiança e positividade”.

Giovana aponta que o assessor é essencial nessa fase de gerenciamento de crise. “Ele vai ‘lutar’ pelos seus direitos com o conhecimento de mercado. É ele que vai alinhar todos seus fornecedores para encontrar uma data para você, reavaliar o seu orçamento para ter certeza de que isso não vai alterar, ser uma ponte importante de contato com seus convidados, e ter certeza que todos os contratos estão sendo seguidos”, pontua.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

  1. Entre em contato com os demais fornecedores

Edda, Gizella e Elisa indicam que, a partir do momento que a decisão de mudança de adiar o casamento é tomada, o primeiro passo é entrar em contato com o local da festa e da cerimônia (quando houver) e ver as futuras datas disponíveis nos mesmos. “Não se prendam somente aos sábados. Festejar quintas, sextas e domingos também é muito legal, lembrando que o que segura o casamento é a energia dos noivos”, recomendam.

Uma vez que essas datas forem consultadas, o próximo passo é entrar em contato com todos os demais fornecedores verificando a disponibilidade deles dentro das possibilidades escolhidas. “Aqui é o momento de colocar na balança o dia que você consegue concentrar a maior parte dos fornecedores já contratados. Às vezes você terá que abrir mão de alguém, portanto, avalie as suas prioridades!”, sugerem Edda, Gizella e Elisa.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

Vai ter multa para adiar o casamento? De acordo com Favale, os fornecedores estão bastante flexíveis. “Por isso estamos pedindo aos clientes que não cancelem, remarquem seus eventos e em contrapartida, nenhuma multa está sendo cobrada. As datas oferecidas para os casais que adiam estão sendo – prioritariamente para este ano, e muitas vezes em dias de semana (sexta-feira por exemplo) não por estratégia, mas por incapacidade de alocar em um sábado, que normalmente está ocupado. As noivas têm aceitado. Quando não, esta mudança pode vir a ser para o ano seguinte”, declara.

Edda, Gizella e Elisa também comentam que todos os fornecedores têm sido muito compreensivos com o que está acontecendo e não estão cobrando multas contratuais.

Segundo Farid, cobrar uma multa para adiar o casamento pode ser considerada uma prática abusiva com o consumidor.

  1. Se não tiver cerimonial: o que fazer?

De acordo com Valentina, quem não tem um cerimonial, produtor ou assessor pode se sentir um pouco mais perdido. Mas ela aponta que há muitos profissionais se colocando à disposição para esclarecer dúvidas mesmo para quem não é cliente.

“Aqui na Itália, há personal trainers, chefs de cozinha e músicos que estão dando aulas gratuitas pelo Facebook ou pelo Instagram. Eles oferecem aulas que geralmente pagamos para ter, só que agora de graça. Eles colocam suas habilidades à disposição para atender os interesses da comunidade. E isto é maravilhoso. Colocar nossos serviços à disposição da comunidade em tempos difíceis é algo que a gente precisa fazer”, conta.

De toda a forma, a dica dela para casais que ainda não contrataram este profissional é conversar com os fornecedores e verificar a disponibilidade deles para adiar o casamento, quais datas estão disponíveis e tentar coordenar os profissionais. “Procure ajuda. Fazer as coisas sozinho não é uma boa maneira de encarar esta situação. Você vai descobrir que sempre há alguém aberto a estender a mão. Tente manter a calma e ficar positivo”, justifica Valentina.

adiar o casamento

Foto: Shutterstoock

Se você ainda não tiver contratado o seu assessor para ajudá-lo, Thai indica o seguinte passo a passo:

  • Entre em contato primeiramente com o seu espaço e com o buffet e veja as datas disponíveis para realizar o adiamento. “Recomendo que os casais pesquisem datas de agosto a março de 2021”, sugere.
  • Depois disso, os noivos precisarão cruzar com as datas dos demais fornecedores. “É possível até fazer uma planilha para facilitar, já que muitas vezes há muitos profissionais contratados”, explica.
  • Uma dica relevante é pensar nos fornecedores que “acabam” primeiro. “São as empresas que não possuem segunda equipe ou que só pegam um casamento por dia. É o caso de fotógrafos, vídeo, maquiagem, cabelo, música (recepção ou cerimônia), decoração e doces. O ideal é seguir esta ordem. Apesar de empresas de decoração e doces fazerem mais de um casamento por dia, tem havido um volume muito grande de procura e alguns não estão conseguindo mais atender determinadas datas”, indica.
  1. Comunique aos convidados

Esta é uma hora bastante delicada – muitas vezes as pessoas já se programaram para o casamento e tiveram alguns gastos com isso. “Use o site dos noivos para comunicar-se com os convidados e passar todas as atualizações. Se os convites já foram impressos e você não quiser ter este trabalho de novo, você pode enviar um novo save the date com uma mensagem fofa ou uma frase motivacional”, sugere Valentina.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

Aqui temos um exemplo de texto que pode ser utilizado:

“Queridos amigos e familiares,

Em virtude da situação do coronavírus, teremos que adiar o nosso casamento para o dia ______, no local ___________, às___horas.

Infelizmente, tivemos que tomar esta decisão para o bem-estar de todos e contamos com a sua compreensão. Temos certeza de que assim a festa será curtida plenamente e os convidados poderão comparecer sem receio.

Vamos deixar nosso site disponível (endereço do site) e precisaremos de novas confirmações de presença até o dia _____”.

  1. Planeje seu casamento de casa

Muitas pessoas estão se resguardando em casa para evitar a disseminação do coronavírus. A internet é uma grande aliada para quem quer continuar o planejamento neste momento – afinal, o sonho ainda está de pé! “Não parem os preparativos. Sigam com as reuniões, mas de casa, via Skype ou WhatsApp”, aconselha Favale.

Thai conta que não está recomendando os noivos a adiarem o fechamento de contratos.

“Inclusive, estou aconselhando-os a adiantar se puderem. Muitos fornecedores estão ficando sem data. Janeiro e fevereiro que eram meses mais tranquilos para nós, no momento estão bem concorridos. Então recomendo fazer reuniões online. É claro que no caso de alguns fornecedores como doces ou drinks, nem sempre é possível fazer degustação. Mas tenho conseguido negociar com fornecedores de doces, por exemplo, para enviarem uma caixa para a casa dos noivos. Mas quando não há necessidade de prova, é possível fazer por video-call. É super possível conversar com o decorador e mostrar o que você quer, por exemplo“, declara Thai.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

Edda, Gizella e Elisa comentam também do caso de uma noiva que fez quatro reuniões com foto e vídeo para garantir o profissional para o casamento dela o ano que vem. “Neste caso o profissional manda um link com o trabalho dele no e-mail para ela ver e a reunião fazemos com vídeo para que ela conheça-o e veja se teve afinidade na conversa”, explicam.

Outra atividade sugerida por Edda, Gizella e Elisa para esta quarentena é fazer a lista de convidados, que sempre é uma parte difícil e delicada do casamento.

Giovana também indica que este é um bom momento para trabalhar no projeto de decoração, lista de presentes, site do casamento, escolher as músicas, lista de convidados e todas essas coisas que eles não precisam sair de casa para fazer. “Minha dica: abram um vinho, aproveitem um ao outro e entendam que essa pode ser uma situação para se descobrirem e ficarem ainda mais juntos”, complementa.

Destination weddings

A situação do coronavírus é global e alguns dos destinos mais procurados para casamentos como Europa, EUA e Caribe já estão sendo afetados. Desde o dia 9 de março, a Itália está em quarentena, sem a possibilidade de realizar nenhum casamento. De acordo com Valentina, por lá, a alta temporada de casamentos está para começar.

“Os primeiros eventos estavam programados para começar em meados de abril. A nossa temporada vai até setembro/outubro. Neste momento, estamos dando um passo de cada vez. Nossa sugestão principal é adiar o casamento. Desta forma, nós apenas ‘congelamos’ tudo que foi feito até agora e levamos para a nova data. Então o primeiro passo é tentar encontrar uma data entre os meses de setembro e outubro. Todos os profissionais estão sendo muito flexíveis e procurando atender as necessidades dos casais. Este é o nosso mote. Há casais também que querem adiar para 2021, o que também não há problemas”, comunica Valentina.

adiar o casamento

Foto: Shutterstock

Leia também: Casamento na Itália | Dicas para planejar o evento perfeito

Na Itália, em que a crise está em uma situação um pouco adiantada com relação ao Brasil, Valentina relata também que seus casais dos meses de julho e agosto ainda estão organizando o evento de acordo com o plano original.

“Até o momento, estamos orientando-os a manter os planos. Caso seja necessário, vamos adiar estes casamentos também e eles estão de acordo e compreendem a situação.  Serão mantidos os fornecedores, locais e profissionais. É preciso um pouco de paciência. O que eu costumo falar com eles é que eles devem manter a paixão e o entusiasmo pelo evento da vida deles da mesma forma. O casamento italiano deles será um sonho, independente da mudança de datas”, confirma.

Caso você tenha que adiar um destination wedding ou a sua lua de mel, as passagens são uma questão a ser resolvida. De acordo com Farid, uma medida provisória publicada pelo governo define que o prazo para o reembolso do valor relativo à compra de passagens aéreas será de doze meses. Os consumidores que aceitarem crédito para utilização no prazo de doze meses, contado da data do voo contratado, ficarão isentos das penalidades contratuais. A diretriz vale para as passagens compradas até 31 de dezembro de 2020.

Sobre:

#
Marina Pastore

Marina Pastore é jornalista e trabalhou na Folha de S.Paulo. Desde 2011, quando começou a organizar seu próprio casamento, se apaixonou pelo assunto e criou um blog, o Vestida de Branco, para dividir ideias, opiniões e dúvidas. Anos depois do seu casamento, ainda adora falar sobre o assunto, ajudar as noivas e com...

1 comentário

  1. Avatar Rute

    Verdade tem que se organizar bem para não haver erros.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Av. Dr. Chucri Zaidan 1550, 31º - São Paulo - CEP: 04711-130 - CNPJ: 08.762.226/0001-31 © iCasei 2007 - 2020