Revista

Como apoiar seu parceiro em períodos de estresse?

Casamento é na alegria e na tristeza! Veja como mostrar parceria nos momentos mais difíceis

A vida, de forma geral, é feita de altos e baixos – afinal de contas, quem é que nunca passou por algum tipo de dificuldade ou estresse, não é mesmo? Ter um parceiro ao lado para ajudar nos momentos mais difíceis pode ser uma forma muito mais agradável de resolver os problemas e lidar com situações complicadas. Afinal, já diria o ditado: duas cabeças pensam melhor que uma.

Veja dicas de psicólogos para ajudar e motivar o parceiro em momentos de estresse:

1.Identifique a causa do estresse e ouça o outro lado

estresse

Foto: Shutterstock

 

Você sentiu que algo está diferente e que seu/sua parceiro (a) está irritado com algo? Um bom começo para tentar entender o que está se passando é estabelecer um diálogo. Para os psicólogos Fabíola Luciano e Rodrigo Henrique Puppi, o melhor caminho é chamar seu parceiro para conversar e tentar entender como ele tem se sentido, o que tem gerado os problemas.

O ponto chave para começar a lidar com a situação é ouvir o outro com empatia, de uma maneira bastante aberta e franca. Uma dica de Puppi é entender também se trata-se de um problema crônico ou agudo – pois as formas de resolução são diferentes. As situações “agudas” são aquelas mais  momentâneas – isto é, são decorrentes de situações pontuais, como um assalto ou uma demissão, por exemplo. Elas podem até mesmo ser provenientes de coisas boas – como a organização do casamento, por exemplo. Nestes casos, Puppi indica trabalhar em cima dos sintomas, uma vez que são situações que não temos controle e não podemos mudar.

Leia também: 10 passos para evitar o estresse um mês antes do casamento

Se for o caso de uma situação mais crônica, de acordo com Puppi, muda um pouco a forma de encará-la. “O estresse crônico vai afetando a pessoa no dia a dia e o organismo não tem tempo de se reequilibrar para continuar dando conta. Por isso, é preciso olhar se a pessoa possui estratégias para conseguir restabelecer esse equilíbrio do corpo – dentro do ponto de vista fisiológico e psicológico. Também é preciso fazer uma avaliação profunda sobre a forma como a pessoa está lidando com as situações. Muitas vezes, esse estresse está derivando não só da situação em si, mas de como nós olhamos pra ela e como nós lidamos com ela no dia a dia”, explica Puppi.

2.Tente buscar soluções em conjunto e motive seu parceiro

estresse

Foto: Shutterstock

 

Sabe aquela velha história de “na alegria e na tristeza”? Pois é – esta é a hora de fazer jus aos votos de casamento. É justamente nos momentos de estresse, em que o “bicho está pegando”, que é preciso destacar essa parceria. “Mostre que mesmo nos momentos difíceis você está lá para dividir e isto é o que vocês têm de melhor, porque os problemas são transitórios, mas a relação de vocês vai ficar”, aponta Fabíola.

Se for um estresse por um motivo bom, como um emprego puxado, mas que irá gerar bons resultados financeiros para o casal atingir objetivos pessoais, vale usar isso como um motivador. “Ajude seu parceiro a se lembrar do motivo pelo qual vocês estão fazendo isso. Às vezes, o percurso é sacrificante, mas ele leva na direção de um sonho em comum. Poder visualizar isso, é um bom lembrete para continuar”, comenta Fabíola.

Leia também: Como Combater o Estresse Antes do Casamento

Puppi indica também ajudar o parceiro a pensar em maneiras para lidar com essa situação. É interessante perguntar ou sugerir se a outra pessoa precisa de ajuda para se organizar de alguma maneira ou se há algo que pode ajudar. “Se houver algo que a pessoa puder fazer em termos de suporte afetivo ou social (às vezes financeiro ou material também) é válido. Claro que é sempre bom pensar no limite que a pessoa consegue ajudar “, explica. Outra forma de auxiliar o parceiro é valorizando os passos que a pessoa dá para sair dessa situação de estresse.

3. Aprenda com as situações

estresse

Foto: Shutterstock

 

Como tudo na vida, é fundamental aprender com as situações. Puppi sugere analisar os momentos que trazem mais estresse e pensar em estratégias para ter controle nestas horas.

“Se eles são inevitáveis, a gente tem que olhar e buscar outro enfoque, procurar uma maneira de reinterpretar as situações, buscar o lado positivo. Veja o que você pode aprender para estar preparado pra lidar com estresses similares no futuro”, afirma Puppi.

4. Não deixe que o estresse interfira na relação

estresse

Foto: Shutterstock

 

Um ponto bastante delicado quando se vive uma relação é não deixar que este estresse do outro contamine a relação e que ela passe a girar em torno deste problema.

“É importante que o casal se mantenha bem conectado. O estresse pode fazer parte, contanto que não comece a afetar a estrutura da relação. Estejam sempre alinhados, dividam as tarefas para que ninguém se sinta sobrecarregado além do esperado e conversem sobre os problemas propondo formas de solucioná-los”, indica Fabíola.

Caso ocorram discussões mais acaloradas, o caminho é respirar fundo e dar uma parada.

“Normalmente, os ânimos estarão bem quentes. Serão muitas emoções fortes e difíceis – a tendência de agir de forma impulsiva é muito grande. Então, é importante perceber como você está se sentindo, respirar fundo e dar uma paradinha. Aproveite também para olhar o outro – como ele está se sentindo? É importante perguntar para a outra pessoa. O que a gente vê nem sempre é exatamente o que o outro está sentindo ou pensando. Vamos assumir ali que ambos estão sentindo muito estresse. Aí é necessário que uma das partes, uma dessas pessoas – seja você mesmo ou o parceiro – tome a atitude de fazer uma pausa. Pode parecer estranho, mas é quebrar a discussão pra poder respirar um pouco, sinalizar uma pausa, antes de continuar a conversar”, explica Puppi.

Leia também: Vale a pena morar junto antes de casar?

Fabíola também indica não estender brigas desnecessárias.

“Sabe aquela briguinha boba que não vai mudar nada? Pois é, deixe ela morrer! O momento já é estressante e um problema pequeno pode virar um elefante. Não queira ter razão – Isso não significa abrir mão do que você acredita, mas a ideia é não fazer da briga um cabo de guerra. Muitas brigas se prolongam porque as partes querem estar certas e defendem seu lado sem sequer considerar a opinião do parceiro. Espere o melhor momento para conversar”, afirma.

5. Busque ajuda profissional

estresse

foto: Shutterstock

 

Quando o casal por si só não dá conta de resolver o motivo que gera o estresse, muitas vezes é preciso recorrer a uma ajuda profissional. Se for um problema financeiro, por exemplo, é possível recorrer a um especialista no assunto – um consultor, por exemplo. A terapia com um psicólogo também pode ser uma grande aliada.

“Quando as brigas passam a ser constantes, o casal não consegue se ouvir e tomar decisões e se inicia um desgaste da relação pode ser um indicativo de que as coisas precisam ser revistas, nesta hora um psicólogo pode ajudar muito”, aponta Fabíola.

Leia também: Como lidar com a família do parceiro?

Puppi acredita que o processo de psicoterapia sempre vai trazer recursos novos pra pessoa. Vai ajudá-la a agir de forma diferente diante dos mesmos problemas. Se for o caso de um problema prolongado e bastante doloroso, a psicoterapia pode auxiliar essa pessoa a fazer um mapeamento do estresse – o que causa a situação, o que pode diminuir ou aumentar a irritação.

6.Inclua momentos de relaxamento na rotina

estresse

Foto: Shutterstock

 

Descomprimir é fundamental para quem passa por momentos de estresse.

“Sugerir atividades físicas ou sociais que tiram a pessoa do problema momentaneamente  é uma forma de cuidado e uma demonstração de afeto. Você mostra que está pensando no bem estar dele (a) também. Além disso, atividades físicas, de relaxamento e de lazer são sempre muito benéficas para aquela pessoa conseguir reduzir um pouco o estresse e estar em melhores condições para voltar a tomar contato com as situações que ele precisa resolver. É uma solução interessante, mas a gente não pode supervalorizar como algo que vá resolver tudo”, justifica Puppi.

Leia também: Medicina integrativa para noivas: alívio do estresse e da ansiedade

E para quem está organizando o casamento e está de cabelo em pé com os preparativos, Fabíola dá  a dica: por mais que hajam coisas importantes para serem feitas, o casal precisa viver atividades prazerosas juntos. Isso ajuda a aliviar a tensão e aproximar o casal para viverem outra atmosfera além do casamento”.

Veja mais sobre vida a dois no nosso perfil no Pinterest

</>

Sobre:

#
Marina Pastore

Marina Pastore é jornalista e trabalhou na Folha de S.Paulo. Desde 2011, quando começou a organizar seu próprio casamento, se apaixonou pelo assunto e criou um blog, o Vestida de Branco, para dividir ideias, opiniões e dúvidas. Anos depois do seu casamento, ainda adora falar sobre o assunto, ajudar as noivas e com...

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Av. Dr. Chucri Zaidan 1550, 31º - São Paulo - CEP: 04711-130 - CNPJ: 08.762.226/0001-31 © iCasei 2007 - 2019