Ouça a narração da matéria:

Muitos casais se planejam para dividir um lar, mas não as finanças na vida a dois. Porém, pensar no assunto é de extrema importância. Isso porque ele não apenas faz parte do dia a dia, mas também é o responsável por tirar do papel muitos objetivos e sonhos do casal.

“Quando duas pessoas resolvem morar juntas, ocorre uma grande mudança de vida e, portanto, alterações no consumo e nos gastos”, explica Ricardo Natali, educador financeiro da DSOP Educação Financeira. Por isso, o casal precisa estar pronto para entender todas essas novidades e aprender a organizar seu dinheiro para ter um casamento feliz.

finanças na vida a dois
Foto: Love by Serena

 

Como organizar as finanças do casal?

De acordo com Patrícia Campos, superintendente de Educação Corporativa da Mongeral Aegon Seguros e Previdência, a organização da vida financeira de um casal depende do cenário financeiro e das preferências de cada par. “Quem tem a maior renda está disposto a contribuir e assumir mais despesas? Ou vocês preferem dividir igualmente os custos fixos e cada um fica responsável individualmente por despesas adicionais?”, questiona.

É importante também fazer um diagnóstico para entender qual é a situação financeira dos dois e esclarecer quanto dinheiro entra e quanto sai. “A dica é desenvolver um orçamento mensal do casal, anotando todos os gastos durante 30 dias corridos. Depois, analisar tudo por categorias. Assim, gastos exagerados podem ser cortados e a economia para os planos a dois pode ser priorizada”, diz Ricardo.

finanças na vida a dois
Foto: D’Arcy Benincosa Photography

 

Tudo às claras nas finanças na vida a dois

Ter o controle das finanças na vida a dois dá ao casal a chance de gastar menos juntos. Mas, para isso, é necessário que ambos estejam prontos para manter mais esse compromisso. Além de estarem conscientes de que qualquer gasto vai impactar a vida do parceiro e o bem-estar do lar.

Para entender e planejar as despesas, Ricardo indica que o casal determine objetivos juntos e os prazos para realizá-los. “Depois de definir os projetos a curto, médio e longo prazos, é preciso poupar um valor todos os meses para a realização de cada um deles”, comenta. O restante do orçamento deve ser usado nos gastos mensais. É a partir disso que se desenvolve um padrão de vida legal para a família.

Outra dica de organização financeira dos recém-casados é se permitir ter uma visão clara de tudo o que é preciso gerenciar. Patrícia recomenda o uso de planilhas online ou mesmo no papel — vale qualquer agendinha. Para quem não desgruda do celular, baixar um app de finanças para casal também é uma boa pedida. Dessa forma, fica muito mais fácil ter noção e controle do fluxo de todos os ganhos e gastos do mês.

finanças na vida a dois
Foto: Delbarr Moradi Photography

 

A renda é do casal

“Apesar de ser cultural que o homem tenha maior participação nas finanças na vida a dois, isso já não é mais regra”, lembra Patrícia. Por conta disso, é importantíssimo que o parceiro exponha sempre qualquer ressentimento com o fato de dar menos verba para o lar. Comportamento que evita sobrecarregar a relação e evita uma das brigas mais frequentes na vida dos recém-casados.

Já quando apenas um dos dois tem renda fixa, o ideal é que ambos entendam que quem provê não está fazendo caridade. O outro está no mesmo patamar, é parte do casal. “É necessário ter em mente que a pessoa não vai viver da renda do parceiro, mas da família. Até porque ela pode não estar ativa no momento, mas tem a capacidade de gerar renda assim que surgir a oportunidade”, destaca a profissional.

finanças na vida a dois
Foto: Nicole Gerulat for Joss

 

O segredo é a conversa 

Mais do que a organização, as finanças na vida a dois devem ser norteadas pelo diálogo. Assim como pela individualidade da mulher e do homem. Ricardo lembra que os objetivos em comum devem ser traçados juntos. Ao mesmo tempo em que os desejos pessoais precisam ser ouvidos, respeitados e atendidos. “Cada um deve contribuir financeiramente para a realização dos sonhos. Mas ainda ter liberdade para definir seus gastos individuais com o restante.”

Patrícia destaca que a transparência financeira é uma característica forte em relacionamentos maduros e saudáveis. Nesse tipo de casamento, os dois se sentem confortáveis com o que ganham, com o quanto contribuem para o lar e, principalmente, com a forma como gastam seu dinheiro. Tudo sem medo ou receio.

Veja mais no nosso perfil no Pinterest 

</>

Tags da matéria

Comentários