Passado o enlace e a lua de mel, os recém-casados iniciam o dia a dia juntos. Começam a dividir espaços e responsabilidades do lar. Entretanto, é neste momento que algumas manias podem ficar mais evidentes e render as famosas “discussões bobas”. Para construir um casamento blindado e imune a isso, o diálogo entre marido e mulher é essencial.

Veja também:  5 hábitos de casais felizes – Como viver plenamente o relacionamento!

Crédito: Shutterstock

 

Casamento blindado: de onde vem as briguinhas?

“As queixas mais frequentes no início do casamento são relacionadas a como o casal vai funcionar”, comenta Marina Simas de Lima, psicóloga responsável pelo Instituto do Casal. É que, geralmente, cada pessoa traz uma bagagem de vida diferente. E algumas manias adquiridas ao longo do trajeto podem fazer com que rendam desentendimentos.

Diferenças extremas de personalidades e características também podem gerar conflitos e divergências de opiniões. “O Instituto do Casal descobriu em pesquisa que o que mais gera briga envolve, principalmente, um parceiro super organizado e outro bem bagunçado”, revela Marina.

O
utro tema que pode gerar desentendimentos entre o casal e dificultar a busca por um casamento blindado é a divisão de tarefas. “Um exemplo é quando essa divisão é feita de forma injusta e sobrecarrega mais a mulher do que o homem. Essa situação é fruto de como somos educados até hoje”, ressalta a psicóloga.

Dificuldade no diálogo para construir planos é outro fator citado que pode atrapalhar a convivência em harmonia. Para a psicóloga Bruna Pereira, uma boa forma de contornar a situação é falar ao outro como se sente. “Principalmente em uma discussão. Acusar o cônjuge de algo geralmente aumenta a situação em vez de resolvê-la”, afirma.

Crédito: iStock

 

Veja também: Como lidar com a família do parceiro? 

O caminho para um casamento blindado

Quando o assunto é casamento blindado, dicas como passar mais tempo juntos e distanciar-se um pouco do mundo digital são as apostas de Marina. Pensar a vida a dois também ajuda. “Vale refletir sobre como o casal irá funcionar frente a regras, comunicação, visitas a família e outros detalhes.”

Bruna aposta em sair da rotina e alimentar surpresas. “Nesse clima de casa nova, surpreender o outro ajuda a manter o sentimento de felicidade. Além disso, pode contribuir para lidar com as briguinhas.”

Balancear individualidade e vida conjugal estão entre os conselhos de Marina. A psicóloga do Instituto do Casal lembra que falar no individual e nunca como “nós” enquanto casal também pode ser motivo de briga.

5 dicas para driblar as manias

Apertar a pasta de dente na metade do tubo. Dormir com a TV ligada. Deixar calçados de rua em plena sala. Na rotina do casal, essas e outras manias podem incomodar na convivência. Veja como driblar tais situações com cinco dicas para manter o casamento blindado!

Crédito: Shutterstock

 

1. Conversar, conversar e conversar

Pode parecer clichê, mas o diálogo em um relacionamento é a chave para uma boa convivência. Bruna incentiva aos casais que compartilhem o que gostam e o que não gostam. “Falar sobre o que incomoda e seus sentimentos tem mais efeito do que acusar simplesmente”, destaca. Para Marina, falar de si e da relação, de maneira espontânea e sem discussões prolongadas, também ajuda.

2. Inovar

Para Marina, fazer atividades prazeirosas e fora da rotina podem ajudar a deixar de lado as manias que incomodam um ao outro. Além disso, manter as boas surpresas na convivência contribuem para que o casamento não caia na rotina.

3. Respeito à individualidade

Bruna explica que algumas manias já ficam evidentes mesmo antes da vida a dois. “O tempo de namoro e noivado mostra isso e não tem muito como fugir. Cada um tem que ceder um pouquinho.” Nesse sentido, Marina recomenda respeitar a individualidade do parceiro e seus hobbies, trabalhos, projetos, metas e sonhos.

Crédito: Shutterstock

 

4. Dar o exemplo

Se alguma mania do outro incomoda, dar o bom exemplo pode ajudar a pessoa perceber e mudar. “Eu não gostava que meu marido deixava os calçados dele pela sala. Um belo dia, resolvi organizar os meus e deixei os dele todos no ambiente comum do lar. Ele percebeu que deixá-los ali realmente não era legal e tomou uma atitude”, lembra Bruna.

A profissional recomenda também cumprir o que um combina com o outro. “Se você se comprometeu a fazer algo no dia seguinte, faça. Se fosse uma tarefa do trabalho, você faria, certo?! Em casa, a orientação é a mesma”, conta.

5. Incentivo

Admirar o parceiro. Incentivá-lo a ter prazer e ser feliz, sem ficar vivendo um amor possessivo, com controle e manipulação. Este é o último aconselho de Marina. A liberdade de estar juntos e viver em harmonia pode ser a chave para ter um casamento blindado.

Texto feito com a consulta de Marina Simas de Lima, psicóloga responsável pelo Instituto do Casal e da psicóloga Bruna Pereira

Tags da matéria

Comentários