Vai casar e descobriu a gravidez enquanto estava planejando o grande dia? Ou ficou grávida e este foi o empurrãozinho que faltava pra oficializar o amor de vocês? Não importa qual a sua história, a combinação de gravidez e casamento pode resultar em muito amor e emoção no grande dia!

No entanto, é preciso se organizar e dividir bem o tempo das tarefas para aproveitar ao máximo estes dois momentos tão importantes da sua vida! Confira as dicas de profissionais e de quem já passou por esta situação para organizar seu casamento grávida:

1 – Cuidado com a escolha da data

Se você está grávida e pretende se casar, um dos primeiros pontos que terá que pensar a respeito é sobre a escolha da data.Em junho deste ano, a atriz Isis Valverde se casou com André Resende e na época, ela completou quatro meses de gravidez. Será que este é um bom período para se casar?

De acordo com a wedding planner Meghan Cox, da empresa Mil Besos, se a ideia é casar durante a gravidez, a recomendação é fazê-lo antes dos seis meses, se possível. “Esta sugestão é por conta da saúde e possíveis imprevistos. Além disso, depois deste período, alguns desconfortos físicos podem acontecer. O dia do casamento costuma ser longo e exaustivo para as noivas”, explica.

A wedding planner Valentina Lombardi, da empresa Italian Wedding Company, acredita que o ideal é já marcar a data assim que souber que está grávida e concorda que não é bom deixar para depois dos seis meses. “Depois deste período, a mulher se sentirá mais pesada e cansada para aguentar a sessão de fotos com noivo, parentes, além da dança e de todas as emoções do dia. Além disso, após o casamento, ela poderá fazer uma lua de mel para relaxar”, comenta.

Reprodução instagram

Foi o que a servidora pública, Luana Treis, fez. Antes de descobrir a gravidez, ela começou a ver algumas coisas para o seu casamento, mas sem muito compromisso. Inicialmente, ela planejava se casar em meados de 2018. No entanto, ao saber da gestação, em novembro de 2017, acabou adiantando para abril de 2018.

“Escolhemos casar neste mês porque eu já queria ter um pouco de barriga – não queria parecer que estava acima do peso, mas que estivesse nítido que eu estava grávida. Noivamos em dezembro de 2017 e definimos a data em fevereiro de 2018. A data do casamento foi mais ou menos com base na data do nascimento do bebê. Não queria que fosse tão próximo para não correr o risco de ele nascer prematuro. Também não queria estar tão cansada para o casamento. Eu estava com cinco meses e achei que foi um bom momento. Dali em diante, comecei a cansar bastante”, relata.

Caso seja um destination wedding, a wedding planner Cecilia Reyes, da empresa Better Together, indica que seja realizado até os seis meses de gravidez, por conta de possíveis desconfortos nos voos. “É sempre importante consultar o seu médico. Podemos sempre mudar ou adiar as datas do Casamento nestes casos”, afirma.

Agora se a ideia é casar após o nascimento do bebê, a dica de Meghan é fazê-lo depois que a criança completar seis meses. “Com isto, você terá tempo para ‘se sentir você mesma’ de novo e há tempo suficiente para resolver qualquer questão de saúde que possa acontecer com a mãe ou o bebê”, indica.

2 – Separe as tarefas por prioridade/etapa

Organizar um casamento ao mesmo tempo em que está planejando o enxoval do bebê pode ser um tanto “enlouquecedor” – isso sem falar nos gastos. Portanto, a dica de Luana, que passou pela situação, é focar em uma coisa de cada vez.

“Até o casamento, o foco era a organização dele. E a partir dali eu teria três meses e meio para planejar a chegada do bebê, fazer enxoval, comprar berço, etc. O segredo foi focar e definir prioridades para cada momento. A prioridade era acertar as coisas do casamento. Depois de retornarmos da lua de mel, comecei a efetivamente ver as coisas do bebê. Não que eu não tivesse visto nada antes, mas só depois do casamento comecei a ir atrás das coisas do quartinho, ver se eu já tinha as coisas básicas do enxoval, planejar a mala para a maternidade, etc. Se o casamento está mais próximo do que a chegada do bebê, então foque nisso e planeje”, lembra.

gravidez e casamento

Foto: Cari Courtright

O wedding planner Rui Mota Pinto sugere organizar tudo com antecedência e fazer as coisas sem pressa, focando em uma coisa de cada vez. “Quando estiver lidando com coisas do bebê, não sobrecarregue sua mente pensando em questões do casamento. E vice-versa. Faça compras para o bebê e dedique-se totalmente a esta tarefa. Quando estiver vendo as coisas do casamento, foque totalmente nisso. Desta forma, você consegue aproveitar ao máximo este processo e não ficar sobrecarregada”, expõe.

Para Meghan, quando ela trabalha com noivas grávidas, ela recomenda que o planejamento do casamento esteja finalizado pelo menos dois meses antes do parto, ou se a festa acontecer após o nascimento, que haja um espaço de tempo de alguns meses para que a noiva foque no seu papel de mãe e deixe o planejamento do casamento um pouco de lado.

3 – Atenção à duração do casamento

Um detalhe que é bastante importante se você está planejando o casamento é verificar a duração da sua festa. Segundo o wedding planner Rui Mota Pinto, é importante ter em mente que uma noiva grávida às vezes não consegue aguentar tantas horas quando uma noiva que não é gestante.

“Alguns casamentos duram de 12 a 14 horas. Para uma grávida, isto pode ser muito tempo. Então vale planejar um casamento incrível, mas com menos horas. Planeje seu grande dia para ser divertido e dinâmico, mas não muito longo. Assim a noiva se sentirá feliz e confortável, mas sem ficar exausta no final do dia”, alerta Rui.

gravidez e casamento
Foto: Forged in the North

4- Temperatura no dia do casamento

Outra questão que é super importante ao organizar o casamento é a previsão do tempo. “Fazer o casamento em um dia muito quente pode trazer desconfortos para a grávida. O ideal é que seja em uma temperatura mais amena – nem muito quente, nem muito frio”, adverte Rui.

Foto: Tiffany Rose Maternity/Divulgação

5 – Conforto é a palavra de ordem na gravidez

Como é um dos dias mais importantes da vida do casal, é importante que o casal se sinta confortável e se divirta, segundo Rui. “É preciso ter cuidado especial com o vestido e o sapato. Eles devem ser bonitos, mas muito confortáveis para que a noiva possa aproveitar ao máximo. Como profissionais, também temos que cuidar da noiva, para que o noivo não fique muito preocupado com ela e o casal possa aproveitar este momento ao máximo”, comenta Rui.

A escolha do sapato e das alianças foi um ponto de preocupação para Luana. “Durante a gravidez, tive bastante inchaço, especialmente nos pés. Por isso, acabei comprando o sapato um dia antes do casamento. Realmente deixei para última hora porque fiquei com receio de estar com os pés muito inchados, no dia ficar com muita dor e não conseguir colocar o sapato. Eu comprei o sapato na sexta-feira e casei no sábado”, conta.

Gravidez e casamento

Foto: Judy Pak

Leia também: Vestidos longos para casamento para grávidas | Madrinhas e convidadas

Como o inchaço também pode estar presente nas mãos, é preciso ficar atento à escolha da aliança.

“Quando meu marido comprou a aliança, ele pegou um anel meu e comprou um tamanho menor, porque a loja não tinha o tamanho exato. Antes de trazer pra mim, eles aumentaram um pouco a aliança. Ela ficou um pouco apertada, pois acho que eu já estava um pouco inchada na época. Ao longo da gravidez ficou bem apertada. O meu obstetra chegou a dizer pra eu tirar, para não inchar demais. Eu não cheguei a ficar sem usar. À noite, eu tirava pra dormir. Mas depois que o bebê nasceu, ela ficou do tamanho perfeito. Eu achava que teria que aumentar novamente, mas eles já haviam dito na joalheria que talvez não ficasse tão bom. Para quem ainda não está noiva, vale dar um toque pro noivo comprar um tamanho um pouco maior que o habitual – acredito que um número maior já é o suficiente. Se for o caso, ela pode diminuir depois – é melhor do que ter que passar a gestação inteira com ela apertada ou no dia casamento não entrar”, pontua Luana.

Leia também: Como escolher vestidos de noiva se você está grávida

Já a escolha do vestido foi um processo um pouco mais tranquilo para Luana. Apesar de ter ido a algumas lojas e não ter encontrado um modelo pronto para locação que desse certo, segundo ela, a partir do momento em que ela decidiu fazer um vestido sob medida, o processo foi rápido.

“Eu não precisei fazer ajustes porque conforme as semanas iam passando, a costureira foi vendo exatamente o que precisava fazer. Então não foi nada estressante. Escolhi um modelo, levei para a costureira, comprei o tecido e fomos moldando o vestido. Eu queria que aparecesse bem a barriga. Até achei que não ficou tão em evidência, mas eu gostei do modelo e achei que ficou bacana. Nas lojas, não encontrei um modelo pra locação que desse certo. Como eu tinha o receio de não saber o tamanho que eu iria ficar, optei por fazer o vestido de noiva. Queria um modelo que não fosse apertar a barriga, mas para locação não encontrei nada”, relata.

6 – Emoções à flor da pele

Ao longo da gravidez, algumas mulheres ficam mais sensíveis e até mais amorosas, enquanto outras mais ansiosas ou nervosas.  Independente do tipo de grávida que você é, saiba que seu dia será pura emoção.

“É normal que a noiva gestante fique mais sensível. Algumas vezes, ela pode ficar mais inconstante, mudar de humor com mais rapidez. Mas também há aquelas que ficam mais emotivas, cuidadosas e amáveis. Mas é o comum para mulheres grávidas e isso não muda porque elas estão noivas. Nosso trabalho é cheio de emoção, sensibilidade e estresse, então estamos acostumados a isso. Mas viver o processo com o casal que está esperando um bebê é também muito emotivo para nós, porque compartilhamos as emoções do casal e a felicidade deles”, argumenta Rui.

Gravidez e casamento

Foto: Hugo Coelho

Meghan recomenda usar a gravidez para pensar no casamento como um passo na sua jornada. “É parte do seu casamento e da celebração da vida a dois. Acredito que esta perspectiva pode ajudar a deixar os noivos menos sobrecarregados”, propõe.

A sintonia com os profissionais contratados também pode fazer diferença nesta hora. “Certifique-se de que o fornecedor contratado para o planejamento entenda a importância destes dois momentos e dê tempo, espaço e liberdade aos noivos para lidar com as tarefas do casamento com calma. Envolva os profissionais do casamento mais próximos com suas preocupações para mostrar a eles que você tem muitas coisas para fazer, para que eles tenham uma paciência extra”, sugere Rui.

Para Valentina, que já trabalhou com noivas grávidas, a experiência foi adorável. “Elas, em geral, são mais sensíveis e ficam emotivas com maior facilidade. Por outro lado, elas estão muito focadas em coisas positivas. Elas estão vivendo um momento maravilhoso de suas vidas e, de forma geral, estão mais focadas no bebê e em oferecer a ele uma boa família, do que enlouquecidas com detalhes do casamento. Elas geralmente estão repletas de alegria, então o trabalho é muito prazeroso. Como profissional, você também sente que está fazendo algo de bom para esta nova família”, atesta.

7 – Aproveite sua “babymoon”

Um conselho da wedding planner Cecilia é de fazer uma “babymoon” (junção da palavra “baby”/bebê + honeymoon/lua de mel), após o casamento. “Se for o primeiro filho do casal, esta será a última vez que eles irão viajar sozinhos. Eu garanto que será um tempo muito bem gasto”, afirma.

Luana chegou a considerar viajar para os Estados Unidos para combinar as compras do enxoval do bebê e uma lua de mel, mas desistiu dos planos. “Vi que não valia a pena financeiramente. Também achei que seria muito estressante pensar em tudo que eu teria que planejar, pois eu estava organizando o casamento e trabalhando. Fiquei estressada de pensar em tudo o que teria que ver nos Estados Unidos, onde iria comprar e aonde iríamos. Também tinha medo de acontecer algo durante a viagem e eu estar longe. Por isso, acabamos optando por ficar aqui no Brasil mesmo e viajar de carro”, comenta.

O destino escolhido pelo casal foi a Serra Catarinense. “Gostamos muito de ir pra lá. Queríamos um lugar tranquilo para desligar, já que estávamos bem estressados com a organização de tudo. Fomos para um lugar bem escondido, bem no meio do mato. E foi muito bom para ficarmos mais tranquilos e relaxar”, avalia.

Modelos de vestido-de-noiva-grávida

Foto: Tiffany rose/ Divulgação

Leia também: 6 hotéis e pousadas em vinícolas brasileiras para a lua de mel

9 – Revelação do sexo do bebê + casamento

A wedding planner Cecilia conta que já atendeu uma noiva grávida e aproveitou a ocasião do casamento para fazer a revelação do sexo do bebê. “Quando ela nos contratou, ela ainda não estava grávida. Foi uma ótima notícia! Para este casamento, acabamos realizando a revelação do sexo da criança com o próprio bolo do casal”, conta.

Veja mais inspirações no nosso perfil no Pinterest 

</>

Tags da matéria

Comentários