Revista

Princesa Diana: um ícone de estilo que jamais será esquecido

Vinte anos após a morte da Princesa Diana, revisitamos o estilo da inglesa que se tornou referência de elegância e fonte de inspiração para as mulheres

“Vinte anos após sua morte, a Princesa Diana está sendo reconhecida como uma das mulheres mais bem vestidas da história, ao lado de ícones como Jackie Kennedy e Audrey Hepburn.”

Quem afirma isso é Eleri Lynn, curadora da exposição Diana: Her Fashion Story, inaugurada em fevereiro deste ano no Kensington Palace, em Londres.

Princesa Diana e príncipe Charles na saída do casamento

Foto: People / Reprodução

Princesa Diana em todas as suas fases

A exposição está centrada na evolução do estilo de Diana, de jovem bem-nascida e retraída, adepta de roupas românticas com muitos frufrus, até a mulher elegante e segura que ela se tornou antes de morrer, tragicamente, num acidente de carro em Paris, aos 36 anos. Para entender esta trajetória, é preciso contextualizar as circunstâncias em que Diana Frances Spencer foi catapultada para a fama.

Em fevereiro de 1981, quando seu noivado com o Príncipe Charles foi anunciado pelos porta-vozes da realeza britânica, Lady Di passou a ser o centro das atenções da imprensa de grande parte do mundo. Até aquele anúncio, o casal havia se encontrado apenas 12 vezes.

Poucos meses depois, em julho de 1981, a jovem de 20 anos entrava na Catedral da Saint Paul, em Londres, vestida de noiva, para protagonizar o maior casamento real do século 20. A cerimônia reuniu 3.500 convidados e foi transmitida pela TV para cerca de 1 bilhão de pessoas.

 

Princesa Diana em vestido azul bebê tomara que caia

Foto: Pinterest / Reprodução

Lady Di e o visual princesa romântica

Era uma outra época. Não existiam stylists a serviço das famosas para vesti-las de forma impecável em qualquer tipo de evento. A Princesa Diana teve que se virar sozinha, com a ajuda dos costureiros que tradicionalmente vestiam a nobreza e a família real, como David Sassoon, da Bellville Sassoon, Victor Edelstein e Gina Fratini. Neste período, prevaleceram looks românticos com muitos babados, saias rodadas e brilhos, com um visual típico de princesa de conto de fadas.

O glamour maduro da Princesa Diana

Mas Diana logo percebeu que aquele estilo cheio de adereços e mangas bufantes não era fotogênico. Por volta de 1985, com a ajuda da designer francesa Catherine Walker (que desenhou mais de 500 vestidos para ela), desenvolveu um novo visual, com roupas minuciosamente modeladas para que fotografassem bem em todos os ângulos. A silhueta passou a ser limpa e mais ajustada, com um glamour adulto e refinado. Victor Edelstein e Versace foram outras grifes escolhidas por Diana neste período.

As mudanças de estilo foram percebidas pela mídia e pela audiência. Lady Di passou a chamar mais atenção do que o Príncipe Charles nas aparições públicas. No ano de 1994, o guarda-roupa da princesa tinha muitas centenas de vestidos e um valor estimado de 1 milhão de libras. Em contrapartida à cifra astronômica, considera-se que a Princesa Diana foi a maior divulgadora da moda britânica.

Princesa Diana com uma menina africana

Foto: Pinterest / Reprodução

Estilo, caridade, separação e ousadia

Por volta de 1992, Lady Di tinha consciência de que era uma das mulheres mais fotografadas do mundo, dominava sua imagem, e era admirada, não só pela beleza e estilo, mas pelo trabalho de caridade, apoiando causas como a luta contra a AIDS e o combate às minas terrestres. O casamento, no entanto, estava em ruínas desde o meio dos anos 80. Em 1992, ela e Charles se separaram. O divórcio foi concluído em 1996.

Depois disso, a Princesa Diana se viu livre para aperfeiçoar sua imagem, sem as restrições impostas pelo protocolo da família real, que pregava um corpo sempre coberto e os não permitia decotes. Ela passou a usar peças de designers de várias nacionalidades e explorou mais a sua sensualidade, sem exageros. Adorava mostrar os braços bem torneados e as costas atléticas. Por isso, vestidos tomara-que-caia, modelos com um ombro só, e decotes nas costas eram escolhas frequentes.

Outro fator fascinante sobre o estilo da Princesa Diana é que, mesmo fazendo parte da nobreza e tendo que seguir muitas regras e tradições, ela se divertia com a moda e chegava até mesmo a ousar. Lady Di foi a primeira pessoa da família real a ser fotografada usando calças compridas num evento noturno, por exemplo.

Princesa Diana de calça em evento social

Foto: Pinterest / Reprodução

Em 1982, durante a turnê real pela Austrália, Diana usou uma gargantilha de diamantes e esmeraldas como tiara, no meio da testa. Será que a Rainha Elizabeth aprovou?

No mês de maio de 1996, a Princesa Diana causou furor ao comparecer ao tradicional Baile de Gala do Metropolitan Museum, um importante evento da indústria da moda, usando um vestido-camisola de John Galliano, então recém-contratado pela Maison Dior. Dizem que ela estava preocupada com o que seu filho William pensaria daquele visual desnudo.

Em resumo, pode-se dizer que Lady Diana Spencer tinha uma elegância que ia muito além das tendências do momento. Isso, junto com o seu inegável carisma, transformou-a num ícone de moda – não da moda. Tanto é assim que, nas fotos dela, sempre enxergamos primeiro a mulher e, depois, a roupa.

Princesa Diana com vestido da Dior por John Galliano

Foto: Elle UK / Reprodução

Sobre:

#
Biti Averbach

Biti Averbach é editora de moda com experiência em revistas femininas, blogs e redes sociais. Mantém sempre um olho na moda e outro no mundo. Adora camafeu de nozes e invariavelmente chora em casamentos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Av. Dr. Chucri Zaidan 1550, 31º - São Paulo - CEP: 04711-130 - CNPJ: 08.762.226/0001-31 © iCasei 2007 - 2019