Imagine um lugar calmo, cercado de palmeiras e muito verde, com pássaros cantando ao amanhecer, uma água cristalina, daquelas que mais parecem refletir o céu… conseguiu visualizar? Esse paraíso, que mais parece um sonho, é, sim, uma realidade e se chama Ilhas Maurício. Diante de tamanha beleza, é claro que o destino se torna um forte candidato a “perfeito” para os casais apaixonados que estão em busca da lua de mel ideal. Mas o que será que esse pequeno arquipélago, composto por 25 ilhas, oferece de tão especial?

vista aérea hotel paradi beachcomber nas ilhas maurício
Foto: Hotel Paradi Beachcomber

Lua de mel dos sonhos: conhecendo as Ilhas Maurício

Você deve estar se perguntando: o que um destino precisa ter para ser indicado como perfeito aos casais em lua de mel? Foi com esse enfoque que eu visitei as Ilhas Maurício e vou contar para vocês tudo sobre essa experiência, compartilhando meu roteiro para lua de mel nas Ilhas Maurício de 4 dias no paraíso azul banhado pelo Oceano Índico.

ilas maurício para lua de mel
Foto: acervo Beachcomber Hotels

Mas, afinal, onde ficam as Ilhas Maurício?

No meio do oceano índico e perto de Madagascar – uma das ilhas africanas mais famosas do mundo por sua diversidade de espécies naturais, encontra-se um arquipélago charmoso, multicultural, lindo e cheio de histórias. Eu visitei a principal delas, chamada de Ilhas Maurício, muito procurada por europeus e norte-americanos para a lua de mel.

mapa das ilhas Maurício
Google Maps

 

Para se ter ideia melhor de onde fica localizada, a Wikipedia nos traz tais referências: a 800 km a leste da ilha de Madagascar e os seus vizinhos mais próximos são o departamento francês de Reunião, a oeste, e as Ilhas Seicheles, ao norte. A capital do país é Port Louis e a extensão da Ilha é de apenas 2.040 km². Em uma comparação palpável para visualizarmos melhor, apenas a cidade de São Paulo possui 1.521 km² e a cidade do Rio de Janeiro tem 1.255 km². O território total da Ilha pode ser medido quase que unindo apenas essas duas cidades do Brasil. Portanto, é possível cruzá-la de ponta a ponta sem muito esforço.

A história e a formação das Ilhas Maurício

Para aqueles que se interessam mais pela história e cultura popular, aqui vai o que aprendi e ouvi do povo local. O arquipélago e país chamado Maurício, ou Mauritius, foi descoberto em 1505 pelos navegadores portugueses. Entretanto só foram colonizadas em 1598 pelo povo holandês. Confesso que quando soube disso não entendi. Afinal, assim que você desembarca no Aeroporto Internacional Sir Seewoosagur Ramgoolam, em Maurício, pode perceber uma forte presença de franceses – francês inclusive é uma das línguas oficiais do país, juntamente com o inglês -, hindus, africanos e ingleses. Daí questionei um simpático senhor local e descobri que o país também foi governado pela França e, depois, pelo Reino Unido.

Com as lavouras de café e cana-de-açúcar – que inclusive ainda movimentam grande parte da economia -, africanos e hindus migraram para a Ilha e completaram essa miscigenação cultural que os deixou muito parecidos com o Brasil. Talvez por isso eu tenha me sentido tão em casa! Franceses, indianos, portugueses, africanos – esse mix que cria um país pacífico, culturalmente rico e lindo.

Claro que, assim como o Brasil, há uma discussão sobre quem realmente fundou e originou o país. Um dos personagens da minha viagem, o simpático guia do tour de bike elétrica me contou que muitas famílias de descendência francesa e outras de descendência inglesa ainda rivalizam – no sentido suave da palavra- a vantagem para se dizer “originais da ilha”. Mas sempre no bom humor e de modo pacífico.

ilhas maurício hotel royal palm
Foto: Royal Palm Beachcomber Hotel

A Cultura Mauriciana

A pluralidade cultural das Ilhas Maurício nos fez viajar por diversos países em um só lugar. Lá, as crianças são alfabetizadas em francês e inglês, o que torna tudo mais fácil no quesito comunicação. Mas nas ruas da cidade você pode ouvir muito mais, tal como o créoleuma das línguas africanas, o hindi, idioma dos hindus, e por aí vai. Inclusive senti uma força tremenda da cultura indiana no país ao visitar templos, o centro das cidades e até mesmo ser convidada para uma cerimônia de casamento hindu tradicional – que foi fantástico e conto no roteiro de lua de mel!

Para entender melhor o que se passa nessa ilha, fui ao centro da cidade de Port Louis, que é a capital do país, e lá vi e ouvi de tudo. Fiz compras no mercadão da cidade; vi grandes templos hindus ao lado de igrejas católicas, protestantes e demais religiões; passei por uma feira de rua com venda desde produtos e roupas chinesas, até artesanato local; paramos em um barzinho para provar iguarias e beber o famoso rum de Mauritius e a dica é: vale a pena o passeio e a imersão local! Aliás, esse é um dos diferenciais da ilha, mesclar a tranquilidade, o conforto e a beleza da praia exuberante e dos hotéis luxuosos, com a possibilidade de viver o agito e a cultura local nos centrinhos das cidades, que são todas muito próximas.

Não vi casos de pobreza extrema no país, nem nada parecido com as tradicionais favelas brasileiras. Mesmo a população menos favorecida da Ilha tem um nível de organização, limpeza e qualidade de vida que destoam bastante da desigualdade que estamos acostumados a ver por no Brasil.

A Economia da Ilha

Em minhas aventuras na busca pelo roteiro perfeito para os casais, pude perceber que a economia local é baseada, principalmente, em 2 pilares. A agricultura e o turismo. Na agricultura, o café, o chá, a baunilha, a cana-de-açúcar e o tabaco têm bastante destaque, além, é claro, do tradicional rum mauriciano. No turismo, você encontrará uma boa gama de hotéis de luxo, tais como a rede Beachcomber, One & Only, Shangri-La’s e InterContinental.

plantação de cana de açúcar nas ilhas maurício
Foto: Caroline Galhardo

A Gastronomia de Maurício

Com toda essa mistura de culturas e estilos que relatei, você já deve imaginar que a culinária é variada e, pode-se dizer, até um tanto exótica.

Café da manhã

Para o café da manhã, sinta-se em casa com uma grande variedade de frutas, iogurtes, pães e café. Ou vá, de lá mesmo, para uma cultura com tom mais forte, tal como a americana, e prove as linguiças, waffles, ovos e panquecas.

café da manhã nas ilhas maurício
Foto: Dinarobin Beachcomber

Almoço e jantar

Peixes e frutos do mar não faltarão nas suas refeições, mas também provei comida indiana, asiática, grega, portuguesa e francesa nesses 4 dias que estive por lá. O vinho acompanha quase todas as refeições – tradição européia –  e as entradinhas de pães, azeites, manteiga, saladas, carpaccios e ceviches tornam cada refeição uma experiência gastronômica.

almoço com camarões nas ilhas maurício
Foto: Acervo Beachcomber

Comida de rua

Os hotéis oferecem uma conceituada rede de restaurantes, todos tendendo para este lado, mas se quiser comer algo local e de rua, nas feirinha das cidades você encontrará desde comida chinesa e tailandesa, até as indianas apimentadas e com sabor imponente.

Cores do paraíso

Vista de paisagens belas não vai faltar na sua visita às Ilhas Maurício. Com a formação de uma barreira de corais gigantesca, que está entre uma das maiores do mundo, há distinção de dois tons no mar. Um azul mais forte e profundo, após a barreira, e um mais ameno que vai até a beira da praia. A barreira natural acaba protegendo a praia das fortes ondas do mar aberto, filtra naturalmente a água, deixando-a ainda mais transparente, e torna o ambiente tranquilo e extremamente preservado. Quando se volta ao continente, o reflexo das florestas preservadas, montes e da fauna novamente enchem os olhos.

vista 180º ilhas maurício café chamarel
Foto: Caroline Galhardo

O verde da vegetação

Se me perguntarem quais cores me remetem a esse paraíso, sem dúvidas direi o azul e o verde.

Composto por uma vegetação de clima tropical, bem próxima à nossa Mata Atlântica, que é refletida em cores pelas suas águas – assim que chegamos à ilha as recordações que me vieram foram da descida para praia com meus pais quando eu tinha uns 7 anos, pela serra do mar do litoral paulista. O clima úmido, quente, cheio de árvores que mais parecem fechar a passagem apenas para que possamos apreciar seus tons, cheiro e ruídos, fizeram me sentir em casa. O que posso dizer sobre o clima é que achei bem quente, mas não com aquele calor “de passar mal” pois há um vento continental que ameniza o mormaço e deixa tudo mais agradável.

hoteis beachcomber em mauritius
Foto: Acervo Beachcomber

O azul do oceano

Não é porque o oceano de lá não é o atlântico que as águas são frias! Longe disso, as praias locais são calmas, quentes, preservadas e cristalinas, refletindo o azul do céu de uma forma diferenciada. A beleza natural faz do cenário algo mágico, compondo um brinde a parte para os casais.

Se liga na dica!

Separei algumas dicas importantes para quem está pensando em visitar as Ilhas Maurício.

Quando ir

A alta temporada começa no mês de outubro e vai até fevereiro. Neste período, os hotéis recebem maior número de hóspedes, mas também ficam em um clima especial de férias.

O que é preciso fazer antes de viajar

  • Tomar a vacina de febre amarela e emitir o certificado internacional de vacinação dado pela Anvisa no Brasil.
  • Tirar Passaporte (não precisa de visto para entrar na ilha) – fique atento às conexões. Pode ser pedido visto específico caso faça conexão em algum outro país, como nos Estados Unidos, por exemplo. Certifique-se antes de embarcar. A minha rota foi pela África do Sul, portanto não exigiu visto, apenas passaporte.
passaporte e vacinas para ir à Mauritius
Foto: iStock

 

Tire todas as suas dúvidas sobre passaporte, vistos e vacinas para a lua de mel antes de viajar!

Fique atento ao peso das malas

A bagagem de mão geralmente segue estas especificações:

  • Uma por pessoa, medindo 115 cm, já considerando altura + comprimento + largura, e peso máximo de 10 kg.

A bagagem despachada segue tais especificações:

  • Até duas por pessoa, com capacidade máxima de 32 kg cada – se exceder, você pagará por cada quilo a mais. O valor diverge por companhia aérea.

OBS: verifique se a mala será despachada direto para o destino final ou se na conexão você terá que pegá-la. Se tiver que pegar e despachar novamente, atente-se para os pesos locais de onde fará a conexão e se envolverá voos domésticos, pois o peso máximo permitido é bem menor – na média 23 kg.

malas para ir ao exterior
Foto: iStock

 

Veja também Lua de mel | 5 destinos exóticos

Voos para Maurício

Diversas companhias aéreas fazem o translado para as Ilhas Maurício, tais como Emirates, Air France, Turkish Airlines. Eu viajei pela South African Airways, e o trajeto foi:

voo para ilhas maurício
Foto: Caroline Galhardo

 

Ida

  • São Paulo/ Aeroporto Guarulhos – Joanesburgo/ Aeroporto Internacional Oliver Tambo *conexão – aproximadamente 8h30min de voo.
  • Joanesburgo/ Aeroporto Internacional Oliver Tambo *conexão  Ilhas Maurício/ Aeroporto Internacional Sir Seewoosagur Ramgoolam  – aproximadamente 4h de voo.

Volta

  • Ilhas Maurício/ Aeroporto Internacional Sir Seewoosagur Ramgoolam – Joanesburgo/ Aeroporto Internacional Oliver Tambo *conexão – aproximadamente 4h de voo.
  • Joanesburgo/ Aeroporto Internacional Oliver Tambo *conexão – São Paulo/ Aeroporto Guarulhos – aproximadamente 8h30min de voo.

Língua local

Os idiomas oficiais da ilha são o inglês e francês. Mas se você tem dificuldade com ambos e acha que isso é um empecilho, fique tranquilo! Há empresas que realizam transporte local, passeios e disponibilizam guias turísticos com equipes que falam português.

Horário

A diferença de fuso do Brasil para Maurício é de 6 horas – no horário de verão.


Veja o
fuso horário em demais países do mundo.

Moeda local

A moeda das Ilhas Maurício é a Rúpia Mauriciana, porém o dólar é muito bem aceito no local. Para ter noção de valor, 1 real equivale a cerca de 10,30 rúpias mauricianas. E 1 dólar americano equivale a 32,92 rúpias mauricianas.

moeda das ilhas maurício, rúpia mauriciana
Foto: iStock

O que fazer lá?

Com uma das mais belas vistas e águas do mundo, o destino é perfeito para quem busca atividades aquáticas, aventura e contato com a natureza. Além disso, uma imersão cultural é muito bem-vinda, já que a gastronomia e religiosidade são fortes atrações e traçam o perfil desse paraíso.

Atividades

  1. Mergulho com golfinhos em alto mar;
  2. Passeio de Bike elétrica pela B9, considerada uma das 10 rodovias mais belas do mundo, com tais atrações:

– Café da manhã no restaurante Le Chamarel, que possui um mirante de tirar o fôlego o café tradicionalmente mauriciano;

– Visita à Cachoeira de Chamarel;

– Parada na Terra das 7 Cores – solo vulcânico com colorações diversas formado por minerais que oxidaram;

  1. Passeio de lancha até as lagoas de corais e observação das Crystal Rocks, formações de corais que brotam da água;
  2. Visita ao Lago Grand Bassin, que possui diversos templos hinduístas e estátuas de mais de 30 m, consideradas protetoras da ilha;
  3. Passeio ao centro da cidade – Port Louis – para observar a cultura local e fazer compras na feira de rua;
  4. Visita ao Château de Labourdonnais, uma linda fazenda histórica construída nos anos 1800, com plantação de cana e degustação de rum;
  5. Apreciar a praia e praticas alguns esportes aquáticos – vale a pena stand up surf, windsurfe e até pegar uma pequena lancha com chão de vidro para apreciar as águas calmas e cristalinas. Alguns hotéis, como da rede Beachcomber já possuem todos inclusos nas diárias;
  6. SPA no Hotel – quase todos os hotéis de luxo da ilha possuem SPAs relaxantes, vale a pena tirar um dia para relaxar e curtir o seu amor.
esportes aquáticos hotel beachcomber em maurício
Foto Beachcomber
esporte aquático no hotel beachcomber
Foto: Beachcomber
roteiro para casais no beachcomber hotel nas ilhas maurício
Foto: Beachcomber
esporte aquático em Maurício
Esportes aquáticos. Foto Royal Palm Beachcomber
passeio de barco nas ilhas maurício
Foto: Beachcomber
feira de rua nas ilhas maurício
Feira de rua em Maurício. Foto: Caroline Galhardo.

 

Serviço:

Aéreo – South African Airways

Site: www.flysaa.com

Hospedagem – Hoteis Beachcomber

Site: www.beachcomber-hotels.com

Tags da matéria

Comentários