Lidar com dinheiro costuma envolver questões delicadas, mais ainda quando se fala de um evento que deixa as emoções à flor da pele e organizado por duas famílias diferentes. Ao longo do tempo, arcar com as despesas do casamento tornou-se quase um dever do pai da noiva, mas isso deixou de ser regra nos últimos anos. “A mudança é recente, de cerca de uma década para cá”, diz Chris Godinho, assessora e sócia da Duas Eventos.

Fatores culturais e econômicos contribuíram para a maior – ou total – participação dos noivos na hora de fechar a conta: mulheres mais ativas no mercado de trabalho e casais oficializando a união mais tarde (ou seja, em melhores posições profissionais) estão entre eles. Outro peso na balança é o desejo do casal de ter autonomia sobre a própria festa e a escolha de convidados. “Os casamentos deixaram de ser eventos sociais para cultivar contatos dos pais, embora isso ainda aconteça, e se tornaram baladas com a cara dos noivos. Os casais estão preferindo investir na música e gastar menos em decoração, por exemplo”, diz Chris. Ela lembra também que ver filhos com melhores condições financeiras em relação aos pais tornou-se algo mais frequente.

Quem paga pelo casamento?
Foto: iStock

Não existe uma regra fixa

Para a assessora de eventos e colunista do iCasei Bel Benkler, algumas famílias prezam pela tradição, mas muitas dividem as despesas. “Já vi pais dos dois lados dividindo, noivos bancando tudo ou mesmo aceitando ajuda de pais, avós e tios como ‘upgrade’ para determinadas escolhas, caso de bebidas melhores”, conta. De qualquer forma, Bel, na área há 13 anos, acredita que os sogros tendem a interferir cada vez menos nos preparativos.

Nada impede a família da noiva de pagar o casamento. Mas fazer disso uma obrigação soa como um resquício da época em que ser noiva incluía um dote e conduzir a filha ao altar era o maior orgulho na vida de um pai. Ao que tudo indica, as coisas estão bem mais maleáveis: o casal pode bancar a maior parte da festa, envolvendo os pais nos preparativos, ou ainda deixar os custos com quem tem melhores condições financeiras. “Não importa o formato escolhido; as decisões finais devem ser dos noivos”, diz Bel.

Quem paga pelo casamento casal
Foto: iStock

A lista de convidados

Independentemente de quem paga a conta, o porte da festa (diretamente ligado ao número de pessoas) e a lista final de convidados deveriam ser prerrogativas do casal. Mas os pais têm papel importante e, normalmente, recebem alguns pares de convites para distribuir entre os amigos. “É sempre bom envolver a família e ouvir opiniões. Ter consideração pelos pais não significa falta de voz ativa”, afirma Bel.

Quando sente algum desconforto entre pais que gostariam de ajudar mais nos custos, Chris procura lembrá-los do valor de ter um filho ou uma filha com autonomia, inclusive financeira. “Isso sempre deve ser motivo de orgulho. Mas é importante valorizar os noivos sem desvalorizar os pais”, conclui.

Outra dica fundamental para os que lidam ou ainda vão lidar com essa questão: ajudar financeiramente ou bancar 100% da festa não significa ter o direito de monopolizar escolhas e fornecedores. E o aviso também vale para a noiva. “Hoje, o noivo costuma participar ativamente de tudo”, lembra Chris.

No fim das contas, tenha sempre em mente que nenhuma quantia em dinheiro vale uma briga ou indisposição séria com pais, sogros ou mesmo com o seu amor no planejamento de um dia tão especial.

Tags da matéria

Vai se casar?

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das últimas novidades e tendências!