finanças para casamento - economia para casamento (2)

 

 

Depois do tão sonhado pedido de casamento, os noivos precisam de foco, organização e muita conversa para não começarem a vida de casados imersos em dívidas.

A festa pode ser pequena, média ou grande; ter cerimonialista ou a ajuda de parentes e amigos; contar com a boa-vontade e habilidade dos noivos no “faça você mesmo” ou com serviço especializado. Seja qual for a escolha, haverá um preço a ser pago, à vista ou a prazo.

Para evitar que o sonho vire pesadelo, Roberta Omeltech, especialista em gestão comercial e CCO da Omeltech consultoria, é categórica ao dizer que, antes de qualquer planejamento, os noivos precisam definir o tamanho do sonho dos dois e ver se esse cabe no orçamento. “Se não conseguirem alinhar os sonhos, não vão conseguir nem planejar o casamento”, indica.

Como pagar

economia para casamento - finanças casais (4)

Planejamento  e tamno do sonho é a palavra-chave para economia no casamento. Foto: Shutterstock.

A primeira decisão, aconselha Ana Paula Zaretti, economista e cerimonialista do site Cerimonial Online, é fazer a lista de convidados. A partir desse número, o tamanho do casamento será definido e, consequentemente, os gastos. “Se os noivos se prepararem, vão pagar menos”, garante.

Mas, antes de começar a assinar os cheques, o casal precisa ter bem claro o quanto cada um está disposto a gastar para transformar o sonho em realidade.“Enquanto são namorados nem sempre sabem quanto o outro ganha”, analisa Ana Paula. “O passo inicial é verificar quanto de renda líquida cada um tem disponível”, aconselha.

Para os recém-casados Wanise Martinez e Diego Matos todos os custos foram meados. “Como temos quase o mesmo salário, dividimos os gastos ao meio”, conta a noiva. “Nesse valor incluímos a festa (espaço e bufê), fotografia, DJ e maquiagem”, relembra.

economia para casamento - finanças casais (3)

Definir  o orçamento antes de tudo, até mesmo de marcar a data, é o mais importante para a economia. Foto: Shuttersotck.

Veja também Dicas recém-casados | Como decorar um apartamento pequeno

Definido o valor do orçamento, é hora de colocar os planos em ação. Tanto Ana Paula quanto Roberta recomendam que o casamento seja marcado com um espaço de dois anos. Durante esse período, o casal poderá guardar dinheiro e negociar os valores com os fornecedores. “Quando o serviço é pago à vista, por exemplo, o desconto é maior”, explica Ana Paula.

Nem todos os casais tem tempo ou a oportunidade de guardar dinheiro. Dayane Manfrere e Adriano Vieira preferiram somar as contas do casamento àquelas do mês, o que rendeu algumas surpresas e exigiu muita organização. “Fomos administrando o dinheiro mensal para ver o que podia ou não ser pago. O que foi ruim, porque os gastos sempre saem acima do esperado”, relata a noiva.

Por outro lado, fugir das parcelas nem sempre é a melhor opção. A igreja, o buffet e o espaço idealizado para a festa podem ter lista de espera longa. Roberta indica que os noivos decidam com prioridade essa etapa, que representa metade das decisões a serem tomadas. “No mercado de casamento, a demanda e a velocidade com que as coisas acontecem são enormes”, explica Roberta. “Se os noivos esperarem juntar todo o dinheiro para pagar esses serviços maiores à vista, correm o risco de ficarem sem a data desejada”, completa.

Como economizar

economia para casamento - finanças casais (5)

Algumas opções, como DIY podem ajudar na economia no casamento. Foto: Shutterstock.

Independente das escolhas dos noivos, para Roberta, foco é a palavra-chave da economia. Para a palestrante, não é possível ter tudo, em alguns momentos é preciso saber se adaptar e decidir prioridades. “Abrir mão de gastos extras no dia a dia ajuda a economizar”, recomenda.

Foi o que aconteceu com o casal Simone Canova e Éric Ramos. Como optaram por um casamento para 180 pessoas e tiveram muitos gastos, o jeito foi mudar a rotina durante o ano e meio de preparação até a hora do sim no altar. “Você deixa de fazer muitas coisas para o dinheiro sobrar porque os gastos aumentam. É preciso se adaptar ”, desabafa Simone.

Outra opção é adotar o DIY (do it yourself, em inglês) ou “faça você mesmo”. Mas é preciso muita disciplina para não deixar tudo para a última hora. “Tem de planejar tudo antes, senão faltando um mês para o casamento os noivos enlouquecem”, recomenda Ana Paula. Para os casais que têm a disponibilidade de encarar algumas tarefas – preparar os convites, as lembrancinhas, cabelo e maquiagem – além de economizar, ainda conseguem personalizar a cerimônia.

economia para casamento - finanças casais (1)

Organização pré-casamento é essencial! Foto: Shutterstock.

Wanise e Diego garantem que não tiveram de abrir não de nada para realizar a festa para 55 pessoas, e que o DIY os ajudou a poupar dinheiro e ainda dar um toque pessoal à cerimônia. “Existem grandes ruas de comércio que vendem itens baratos que você mesmo pode preparar”, indica Wanise. “Pesquisar na internet, acompanhar blogs e sites de casamentos ajuda muito”, relembra a noiva animada.

Lua de mel e moradia

economia para casamento (1)

Lua de mel ou casa nova? Alguns casais precisam optar. Foto: Shutterstock.

A tendência atual entre os casais, analisa Roberta, é se preocuparem mais com o financiamento do apartamento do que com a viagem de núpcias, que costuma ficar para outro momento. Mas isso não é a regra. Outra opção, para aqueles que fazem questão da lua de mel, é alinhar a data do casamento com o período de férias do trabalho.

Mas os noivos precisam ficar atentos aos financiamentos para não acumularem as parcelas do imóvel com os gastos do casamento. O ideal, segundo as especialistas consultadas, seria fazer dois projetos, um para o matrimônio e outro para a compra do imóvel, e apenas iniciar um, quando o outro estivesse terminado, evitando assim, o acúmulo de dívidas.

Dayane e Adriano, que sobem ao altar em breve, deram entrada no apartamento ainda em 2011. O casal preferiu focar na casa própria e na festa. Mas, nem sempre os planos saem como o esperado, como a entrega do imóvel está atrasada, vão ter de alugar uma casa e contam com o apoio da família para sanar esses gastos extras.

economia para casamento (2)

Para ter a casa nova e o casamento dos sonhos é preciso planejamento. Foto: Shutterstock.

Para os noivos que já moram juntos ou já têm o apartamento garantido, o costume vem sendo fazer em vez de lista de presentes físicos a lista de presentes virtuais. Assim, o valor arrecadado entre os convidados pode ser usado na hora de fechar o pacote de viagem.

Essa foi a solução adotada por Wanise e Diego que já moravam juntos há mais de um ano e, portanto, não tiveram de se preocupar em mobiliar a casa. “A lua de mel fizemos como um projeto à parte”, conta a noiva. “Nos ajudou muito o fato de já termos um valor sempre separado para as férias aliado ao que recebemos com o cartão viagem”, completa.

No caso de Simone e Éric, o dinheiro para a lua de mel foi incluído no orçamento total do casamento. Além de terem a ajuda da família para negociar com fornecedores, o fato do noivo ter herdado o apartamento do pai falecido amenizou os gastos.

Empréstimo
Contrair empréstimos para realizar um casamento maior do que permite a realidade financeira do casal não é uma ideia que agrade as especialistas. “Se você tem que pegar um empréstimo para pagar seu sonho, é porque ele não cabe no seu orçamento”, diz Roberta. “O que vale à pena é readequar o sonho à realidade financeira, remarcar a data ou arrumar outras fontes de renda”, aconselha.

finanças para casamento - economia para casamento (1)

Empréstimos podem não ser uma boa saída para as contas do casamento. Foto: Shutterstock.  

Vender o carro e o apartamento para financiar uma festa maior que permitem as possibilidades do casal também não é visto com bons olhos pela consultora. “É preciso ser racional, o casamento não pode ser um pesadelo”, conclui.

Por outro lado, para Ana Paula, o empréstimo pode ser uma boa ideia somente se o casal for controlado e souber usar esse dinheiro para realizar pagamentos à vista. Mas atenção à dica da profissional: “O valor que sobra com o desconto dos serviços pagos à vista deve ser guardado para sanar as dívidas do próprio casamento ou pagar as parcelas do financiamento do imóvel”. Por isso mesmo, toda forma de ajuda vale à pena. “Fazer planilha de pagamentos, colar post-its na agenda, tudo para não se perder nas dívidas”, recomenda.

Veja também 10 brigas mais frequentes na vida dos recém-casados

Tags da matéria

Vai se casar?

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das últimas novidades e tendências!