Mesa ao ar livre de convidados de um casamento
Foto: Pinterest / Reprodução

Querida leitora, seu casamento vai ser incrível. Mas a gente sente informar que dores de cabeça em relação à lista de convidados quase sempre fazem parte do pacote. As razões para se preocupar com ela são muitas: orçamento (principalmente!), espaço onde vai rolar a festa, estilo do evento (mais intimista, por exemplo), diferenças no círculo social da noiva e do noivo e por aí vai.

Mas, acredite: dá para montar uma lista enxuta e, o melhor, sem sentimento de culpa. “O grande referencial é o budget, mas sempre tenha como premissa chamar apenas pessoas importantes para você hoje”, diz a assessora de eventos Márcia Fasano. Isso, segundo ela, exclui colegas de colégio e faculdade que você perdeu o contato e até parentes próximos com os quais você não convive ou não tem afinidade. Preocupada com a reação da sua avó ao excluir aquele primo que você nem sabe por onde anda? “Explique de maneira delicada as restrições quanto ao orçamento e ao porte da festa e reforce a importância da presença dela”, sugere Márcia.

Ao distribuir os convites entre pais e sogros, a assessora recomenda cerca de 20% para cada lado. “Costuma ser justo e suficiente”, afirma. Importante: isso independe de quem vai pagar o casamento. Se ainda assim for preciso cortar, uma boa pergunta a fazer é “essa pessoa frequenta minha casa?”. Quando a resposta for não, eis um possível candidato a ficar de fora da festa.

Casal escolhendo convidados no tablet
Foto: iStock

Mais dicas de como montar sua lista de convidados de casamento

Convidados valem (e custam) muito na lista de convidados

Ao montar a lista, sempre tenha em mente que cada convidado a mais incide diretamente no custo final da festa. Parece óbvio, mas cerca de 40% dos gastos na celebração dependem do número de pessoas, pois estão relacionados à alimentação – incluindo buffet, bebidas e doces.

Família: questão polêmica

Para Márcia Fasano, grau de parentesco não deveria ser fator determinante. “Atenha-se a tios e primos próximos e não se sinta no dever de chamar pessoas com quem você não mantém contato. Aliás, lembre-se que você não deve chamar ninguém por obrigação”, diz.

Crianças: mais polêmica ainda

Pode não convidar crianças no casamento? Muitos pais se sentem profundamente ofendidos se os pequenos não são convidados. Por isso, nessa hora, vale a sensibilidade dos noivos. “O indicado é estender o convite a todos que moram na mesma casa”, diz Márcia. Isso, muitas vezes, exclui filhos maiores de idade (e seus namorados) e os já casados. Se existirem muitos casos assim, não tenha culpa ao adotar o “Convidado e Sra.” no convite. Voltando à delicadíssima questão das crianças: quando há muitas na família, considere contratar brinquedos ou serviço de recreação. Mas se você realmente não as quiser no casamento, a decisão é sua. Não precisa se sentir um monstro.

Convidar ou não o seu chefe?

Segundo a assessora, a regra aplicada a colegas de trabalho deveria ser a mesma, não importa o cargo: convidar apenas os amigos dentro e fora da empresa, que conhecem a sua casa e a sua vida pessoal. Quanto ao chefe, se vocês não tiverem qualquer relação fora do trabalho, não é preciso pensar duas vezes. “Em muitos casos, ele vai achar que você convidou por obrigação e ainda se sentirá no dever de ir ou dar um bom presente”, completa Márcia.

Amigos em comum, só que não

Sabe aquele amigo do seu noivo que você não suporta desde o início do namoro? Ou aquela tia dele que simplesmente não te cumprimenta? O ideal é conversar caso a caso sobre esses convidados e estar pronta para ceder. Afinal, existe uma diferença entre “não ter afinidade” e “detestar”. Tente abrir concessões, mas não se sinta culpada em deixar de fora quem vai ser motivo de mal estar neste dia tão especial.

Acompanhantes

Entre os convidados solteiros, é elegante enviar um convite a mais para um acompanhante – o famoso plus one. “Mas a regra só vale para quem não se entrosa com nenhuma turma presente. Economize o convite extra, também, para aquele amigo que troca de namorada toda semana”, diz Márcia.

Em último caso, considere um destination wedding

Casar em outra cidade ou país é o sonho de muitos casais. Mas também vale considerar a ideia se você simplesmente não consegue enxugar mais a lista de convidados. “Nesse caso, a proposta bem mais intimista, e que exige uma logística maior, faz com que o círculo social dos noivos seja compreensivo”, diz Márcia, especializada em destination wedding na Itália.

Faixa-bônus: manual do convidado

Na hora de montar a lista final do casamento, o bom senso por parte do convidado também pode ajudar bastante. Se você recebeu um convite, tente respeitar o que ele indica. Quando apenas o casal foi convidado, evite perguntar sobre filhos na confirmação de presença ou para os noivos. O mesmo vale para acompanhantes, se isso não estiver expresso no convite (ou em forma de convitinhos, eficientes para comunicar o número de convidados naquela família).

Tags da matéria

Vai se casar?

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das últimas novidades e tendências!