Vista da praia de Mykonos
Foto: iStock

Vilas de casas branquinhas cobertas de buganvílias coloridas, ruelas estreitas e igrejas de cúpulas azuis… azuis da cor do mar. Um mar que abraça, com águas calmas, cristalinas e que desenham as mais contrastantes e absurdas paletas nas cerca de 6 mil ilhas gregas, das quais apenas pouco mais de 200 são habitadas.

Com um total de 16 mil quilômetros de costa (sendo 7.500 espalhados pelo arquipélago), a Grécia é a verdadeira materialização do Paraíso na Terra – e a paisagem perfeita para a sua tão esperada lua de mel. Somam-se ao abençoado cenário natural hotéis luxuosos, algumas das mais cenográficas piscinas com vista infinita do planeta, uma culinária saborosa, na qual reinam os peixes e frutos do mar, bons vinhos produzidos in loco e voilà: o berço da civilização se transforma num estalar de dedos num dos destinos mais especiais do planeta.

O fascínio das ilhas gregas entre as celebs

De bobos, os casais Tatá Werneck e Rafael Vitti, um dos mais shippados do momento, e Gabriela Pugliesi e Erasmo Viana, os queridinhos do Instagram, não têm nada. O país foi o pano de fundo escolhido para a oficialização do namoro da apresentadora e do ator, em junho deste ano, e o noivado da blogueira fitness, em julho do ano passado, durante um passeio de barco ao pôr do sol, ao som de uma harpa. Juliana Paes também foi relaxar por lá numa segunda lua de mel com o maridón Carlos Eduardo Baptista depois de se despedir da personagem Carolina, de Totalmente Demais.

Se Atenas é a incontornável porta de entrada, com monumentos do calibre do Parthenon, na Acrópole, ou do Templo de Zeus, cada pedacinho cercado pelas águas dos mares Egeu e Jônico tem uma personalidade distinta. Selecionamos, especialmente pra você, seis ilhas gregas paradisíacas que resumem o que o país oferece de melhor.

Vista da praia de Mykonos

Para badalar: Mykonos

Foi num fim de tarde quente de verão, sob um arco de flores e com o azul de doer do mar ao fundo, que a top Ana Beatriz Barros disse sim ao empresário egípcio Karim El Chiaty, tendo como testemunhas as amigas Alessandra Ambrósio, Isabelli Fontana e outros mil convidados (entre eles Matheus Mazzafera, Lalá Rudge, Sabrina Sato e Heleninha Bordon). A festança, que durou dias, seguindo a tradição árabe, aconteceu bem ao clima da ilha mais badalada da Grécia, com direito a DJs e bandas internacionais até o raiar do sol. É mais ou menos este o script de it-férias em Mykonos (que, em grego, significa “ilha branca”), frequentada ano após ano pelo jet set internacional: de dia, é hora de relaxar na piscina de hotéis badalados como o Cavo Tagoo e o Belvedere ou em beach clubs em praias como Paraga, Psarou e Sunset Beach. O fim de tarde pode ser lá mesmo – ou nas mesinhas ao ar livre de Little Venice, um charmoso cantinho de Chora, a vila principal da ilha. Por fim, o ritual termina nas pistas da Cavo Paradiso, a balada mais quente de Mykonos, até o sol nascer. E, aí, é só começar tudo de novo...
Foto: iStock

Praia de Delos na Grécia

Para uma aula de história: Delos

Segundo a mitologia grega, Zeus engravidou a sua amante, Leto, e ela se refugiu numa ilha flutuante, escondida por uma frequente bruma, para conceber os filhos gêmeos Artemis, a deusa da caça, e Apolo, o deus do Sol. Esta ilha fica a apenas meia hora de barco de Mykonos e atende pelo nome de Delos. Alvo de intensa peregrinação, ela abrigaria um oráculo, consultado para as decisões mais importantes da humanidade. Sua importância é tamanha que o arquipélago das Ilhas Cíclades tem este nome porque as ilhas estariam orbitando ao redor de Delos. Recheada de templos, belos mosaicos e esculturas de milhares de anos, a “Ilhas dos Deuses” pode ser visitada por poucas horas, em passeios de bate-e-volta – completamente desabitada, ela é um dos principais sítios arqueológicos de todo o país e uma atração imperdível para quem faz questão de somar pitadas culturais a qualquer viagem.
Foto: iStock

Vista da ilha de Santorini

Para vistas de arrasar: Santorini

A origem vulcânica de uma das ilhas gregas mais incontornáveis em roteiros românticos desenhou uma geografia rara: a mítica Santorini tem formato de meia lua e, como um anfiteatro, está debruçada sobre aquela que seria a cratera do vulcão, totalmente coberta pelas águas do mar milhares de anos atrás. Suas vilas são a materialização dos cenários clássicos sempre associados à Grécia: recheadas de casinhas brancas e impecáveis igrejinhas de cúpulas azuis, estão encarapitadas no alto da montanha e parecem equilibrar-se nas suas encostas. Oia é a mais charmosa delas – e a que concentra os mais espetaculares hotéis, com direito a piscinas com infinite view que vivem recebendo o título de mais bonita do mundo em revistas internacionais. É o caso do Perivolas, que frequentemente ilustra páginas de ensaios de moda e lifestyle, e do Katikies. Pipocada de vinhedos e dona de algumas importantes ruínas arqueológicas, Santorini não foi abençoada com as mais belas praias gregas. É do alto, e sempre desafiando a lei da gravidade, que ela revela o seu maior trunfo: vistas infinitas sobre um Mar Egeu de águas sempre azuis.
Foto: iStock

Folegandros vista de frente da ilha

Para fugir do mundo: Folegandros

Três vilarejos principais, pracinhas que se contam nos dedos, ruelas calçadas de pedras, trilhas percorridas por burros, menos de 700 habitantes. Dona de uma área de apenas 32 quilômetros quadrados, a pequenina Folegandros, situada ao sul do arquipélago das Ilhas Cíclades, é desses lugares isolados do planeta, perfeitos para se desconectar – de preferência com todos os mimos a que se tem direito, em hotéis como o Anemi, que pertence à rede Design Hotels, ou o Themonies, um oásis instalado em antigo complexo agrícola de pedras do século 19. O cenário é de sonhos: em meio a uma paisagem árida, surgem aglomerados de casas branquinhas com janelas, portas e varandas coloridas em tons de azul e verde. As cores repetem a paleta do idílico mar da ilha, que pode ser desfrutado em praias como Katergo e Livadaki – com sorte, não haverá ninguém por perto...
Foto: iStock

Costa da ilha de Creta na Grécia

Para comer bem: Creta

Queijos de ovelha e de cabra. Um azeite que, de tão especial, é conhecido como o “ouro líquido” da Europa. Carne fresca ou curada. E um sem fim de frutos do mar. Os principais ingredientes da rica culinária da maior ilha grega são todos locais. De preferência, orgânicos. E não mudam há séculos e séculos. Trabalhados à perfeição em receitas de ares mediterrâneos, que incluem delícias como flores de abobrinhas recheadas, polvos grelhados e uma grande variedade de saladas, eles garantiram a Creta o título de melhor ilha grega para quem deseja comer bem. Aqui, restaurantes de ares simples, como o Taman, em Chania, o Methexis, em Palaiochora, ou o To Pigadi, em Rethymno, entre tantos outros, são atrações tão obrigatórias quanto as lindas praias de Elafonisi, Falásarna ou Myrtos. Berço da civilização minoica, a primeira sociedade moderna da Europa, que data de cerca de 4 mil anos atrás, Creta é um mosaico de paisagens que inclui vilas cheias de charme à beira-mar, cidadezinhas paradas no tempo nas montanhas, imensos campos de oliveiras, vinhedos (os mais antigos do continente em uso contínuo) e ruínas milenares. Nesse quesito, o Palácio de Knossos é imperdível: no século 19, escavações trouxeram à tona um impressionante complexo que remonta ao ano de 1.900 a.C.. Suas ruínas revelam belos afrescos e são uma verdadeira aula de história. Entre as boas opções de hospedagem, aparecem o Hotel Ammos e o Porto Elounda, que tem um incrível spa by Six Senses.
Foto: iStock

Ilha de Milos na Grécia

Para praias quase desertas: Milos

Um braço de mar azul vence as formações rochosas branquinhas até chegar a um trecho estreitíssimo de areia. A sensação é a de estar na Lua. Para onde quer que se olhe, a paisagem, moldada milhares de anos atrás por cinzas vulcânicas, desenha formas surreais. São grutas e passagens estreitas que se espalham pela costa nos arredores, desenhando uma das mais surpreendentes praias da Grécia: Sarakiniko – as chances de não encontrar uma alma viva por perto são boas. A despeito da fama que ganhou a partir de 1820, quando ali foi encontrada a estátua da Vênus de Milo, hoje um dos highlights do Museu do Louvre, em Paris, a pequenina ilha de Milos (são apenas 23 quilômetros de leste a oeste e 13 de norte a sul) passa ao largo do grande turismo no país. A seu favor, conta ainda o fato de ter o maior número de praias entre as Ilhas Cíclades (arquipélago que inclui as famosas Santorini e Mykonos): são 75. Se o seu sonho é curtir um cenário beira-mar deslumbrante a dois, aqui está a sua grande chance! Completam o visual as onipresentes vilas de casas branquinhas, onde se destaca a charmosa Plaka, com o centrinho recheado de restaurantes com mesinhas ao ar livre; portos cênicos como o de Klima, uma aldeia de pescadores supercolorida; e hotéis simpáticos como o Salt e o Melian.
Foto: iStock

Tags da matéria

Vai se casar?

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das últimas novidades e tendências!