shutterstock_98068943

Não são poucas as histórias que ouvimos por aí sobre fornecedores que deixam os noivos na mão, que não entregam determinado serviço conforme combinado ou que esquecem algum detalhe importante que acaba prejudicando o andamento da festa. Mas quando falamos de um dia que ficará para sempre na memória, como o casamento, é melhor sempre se precaver e evitar correr riscos. Por isso, vale uma atenção no momento da escolha dos profissionais que farão parte do seu Grande Dia. Como vivi esse momento e passei por algumas coisas que deram certo e outras nem tanto, separei algumas dicas para vocês:

out3

1) Comece a organização do seu casamento com pelo menos um ano de antecedência.

6b63988cd8f2ac00e93a9d3215cc984b

Este tempo é essencial para que você possa pesquisar bastante e fazer as tarefas com calma. Além disso, muitos fornecedores já têm agenda até para dois anos à frente. Então, quanto antes você começar, melhor será para encontrar os profissionais certos.

2) Cuidado com impulso: não feche nada no impulso de riscar mais um item da sua lista de tarefas.

6e50dd8afcdcda0b182dcf37b47f3bc1

Essa “contratação por impulso” pode custar caro depois. Analise bem cada um dos fornecedores e tome o tempo que for preciso para fazer suas escolhas.

3) O preço pode ser um fator que engana.

Há sempre alguém que faça mais barato, mas a qualidade pode deixar a desejar. Por isso, pesquise, pesquise e pesquise. Faça comparações de orçamento, levando em conta todos os itens oferecidos. De repente, um fornecedor pode estar cobrando menos, mas oferecendo menos coisas ou um serviço de qualidade inferior. Mas também não se iluda – nem sempre o mais caro é melhor. É natural que a gente se encante com coisas super caras e lindas. Mas, nessa hora, vale fazer algumas perguntas básicas para si mesma: será que eu preciso mesmo de tudo isso? Eu tenho esse dinheiro para gastar ou terei que tirar de outro item que era prioridade no casamento? Às vezes, dá para pesquisar mais e tentar achar algo que seja mais em conta e bom.

4) Visitar feiras e eventos de casamento pode ser uma boa saída para conhecer vários serviços ao mesmo tempo.

64a620ff0721b94eaee7440fd13d5f21

Na correria do dia a dia estes eventos podem ser uma mão na roda para os noivos.

5) Experimente tudo o que você puder antes de contratar.

7ddac0df929267af169f98450fdf9001

Muitos fornecedores permitem fazer provas (pagas ou não) antes de realmente fechar o contrato. Ficou apaixonada por um local? Que tal fazer a degustação do buffet antes de contratar? Gostou de uma maquiadora e quer saber como é o trabalho dela? Por que não pagar uma prova antes de realmente fechar? Também vale assistir a outros casamentos para ver como é a atuação do profissional. No caso do espaço para a festa, por exemplo, você pode visitar o local em um dia de casamento. Se você gostou de um coral para sua cerimônia, é possível assistir a outras apresentações deles. Isso tudo pode trazer ainda mais segurança na sua escolha.

6) Pesquise referências dos fornecedores na internet.

Hoje o que não falta são blogs, redes sociais e sites para dar informações sobre os profissionais. Se quando vamos comprar um celular ou um batom costumamos consultar a opinião das pessoas na internet, por que não fazer o mesmo com os profissionais que farão parte do seu casamento? Já encontrei por aí fanpages de alguns profissionais abarrotadas de reclamações, assim como algumas com vários elogios. As redes sociais e as buscas no Google podem ser um bom termômetro.O bom e velho boca a boca também funciona – consulte amigos e familiares que já casaram para verificar quem são os profissionais que eles indicam.

7) Uma dica que minha cerimonial deu e que eu acho super valiosa é  contratar primeiramente os profissionais que poderão fazer somente um casamento por dia, como é o caso do buffet, local, fotógrafos, vídeo e cabeleireiros/maquiadores.

7cefc9cc4f34ac54e9e7b0f34a131008

Estes são também os fornecedores que geralmente têm a agenda mais cheia.

8) Leia o contrato por completo e tire suas dúvidas.

Caso tenha alguma restrição, é possível tentar negociar cláusulas com os profissionais. Fique atenta especialmente a partes referentes a multas, cancelamentos, prazos de entregas e o que acontece caso o profissional não possa comparecer no dia – quais as medidas que ele propõe? Tudo isso deve estar registrado.

9) Quando estava organizando meu casamento, gostava de avaliar um item que julgava muito importante: flexibilidade. Isto vale para várias coisas.

O profissional aceita suas ideias ou fica tentando impor algo que ele acha que é melhor? Ele está disposto a mudar coisas que você aponta ou se mostra irredutível? Vale reparar bem neste quesito para não se irritar depois.

10) Negocie.

a71cc00890198fb31f901b8a6734fecb

Como dizem por aí, quem não arrisca, não petisca. Não há problemas em pedir desconto ou negociar a forma de pagamento. Claro, para tudo há limites – não dá para ficar forçando um desconto, se o profissional não quer ou não pode dar. Nessa hora, vale o bom senso.

Tags da matéria

Vai se casar?

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das últimas novidades e tendências!